• 15ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • As respostas das crianças

    A crônica de Francisco Santana

    Entre tantas músicas lindas do Gonzaguinha eu destaco “O que é, o que é” pelo ritmo alegre e pela letra rica em conteúdo. Destaco nela a resposta das crianças pelo modo de encararem a vida com simplicidade, candura, originalidade e transparência. 

    Eu fico com a pureza/Da resposta das crianças/É a vida, é bonita/E é bonita/Viver/E não ter a vergonha/De ser feliz/Cantar e cantar e cantar/A beleza de ser/Um eterno aprendiz”.

    Pensando nelas resolvi publicar algumas frases cujas palavras foram ditadas pelo coração. Não tem como não rir diante de tamanha simplicidade e originalidade. 

    Vou abrir essa seleção com duas pérolas do meu neto Bernardo, 3 anos.

    *** – Vovô Santana, você está velho, né! Gordo, barrigudo e careca. Não fica triste não, vovô Santana. Eu gosto muito de você mesmo assim. Você é muito legal e merece respeito.

    *** – Mamãe, Papai do Céu me criou, mas não caprichou comigo.

    – Por que meu filho?

    -Eu não nasci adulto. 

    *** – Mãe, hoje eu não vou fazer pilates.  

    – Mas por que não, filha?

    – Porque ele matou Jesus. (Bella, 7 anos).

    *** – Mamãe, como é o nome daquilo mesmo que te deixa nervosa?

    – TPM?

    – Pois eu to com isso!

    *** – Mãe, quantos anos você demorou pra fazer 30 anos? (Ulisses, 6 anos).

    *** Durante o café da tarde estávamos conversando sobre castanha do Pará. Meu marido perguntou a Melissa:

    -Qual a diferença entre o Pará e o Paraná?

    – Ná! (Melissa, 8 anos).

    *** Eu estava passando creme no meu rosto e a Malu perguntou:

    – Tia Lu, o que é isso?

    – É ácido, Malu, prá ficar mais jovem. 

    – Não tá funcionando… (Malu, 2 anos).

    *** Larissa, 5 anos, chegou da escolinha muito irritada e foi para o seu quarto.  A mãe a interpelou o porquê daquela atitude.   

    – Mamãe, você mentiu para mim. Mentir é muito feio, você sempre disse isso para mim. 

    – O que eu fiz de errado minha filha?

    – Você me disse que foi uma cegonha que me trouxe quando eu nasci e hoje na escolinha, a Amanda me disse que a criança sai da VARGINHA da gente.  Aprendeu?

    *** Estávamos com visitas em casa e o Benjamim pediu:

    – Mãe, deixa elas dormirem aqui?

    – Mas, filho, onde? Aqui não tem espaço…

    – Tem, sim. Elas podem dormir no quarto de óbitos.  (Benjamim, 3 anos).

    *** Alice, 3 anos, chegou em casa com um dever sobre oposto.

    – Alice, você sabe o que é oposto?

    -Sim, sei mamãe. É onde você abastece o seu carro.

    *** A mãe fez uma macarronada e Beatriz, 6 anos se recusou a comer.

    – Filha, você não comeu nada. Eu fiz com tanto carinho, com tanto amor…

    – Mãe, não coloque amor, coloque sal.

    *** No consultório, o pediatra pergunta para a mãe.

    – Qual é a data de nascimento do Matheus?

    A mãe responde e Matheus comenta:

    -Que legal, mãe! Eu nasci bem no dia do meu aniversário. (Matheus 5 anos).

    *** Mãe, na sua academia tem o exorcista?

    – Exorcista?

    -Sim, aquele moço que ensina a fazer os exercícios. (Rafaela 8 anos).

    *** No parquinho.

    – Olha, filho, duas corujinhas! Vai lá falar com elas!

    – Não, mamãe. Coruja não fala. (Caio 3 anos).

    *** – Filho, estou orgulhosa de você!

    – Não, mamãe, não pode. Ser gulosa é muito feio (Davi, 2 anos)

    *** Dorme com Deus, meu filho.

    – Eu não quero dormir com Deus! Quero dormir com minha vovó.

    *** – Guido, quem é que come carne?

    – Não sei.

    – É carnívoro. E os vegetais?

    – Não sei.

    – É herbívoro. E quem come tudo?

    – É o meu vovô Jorge. (Guido, 5 nos).

    Deveríamos crescer e permanecer com essa pureza de criança em nossos corações.   

    (Fonte (Internet/Sites: A resposta das crianças/Inocência – pureza das crianças/letra da música: O que é, o que é de Gonzaguinha).