• 31ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Por que é importante vacinar as crianças?

    A pandemia que estamos atravessando tem nos trazido lições importantes. Ela tem nos mostrado como é importante cuidar de si e das outras pessoas. Neste momento em que o mundo todo busca por uma vacina contra a COVID-19, vemos a importância das vacinas na vida de todos nós.

    Em outros momentos a humanidade passou por calamidades que culminaram na morte e sequelas de muitas pessoas. Hoje temos vacinas que são muito importantes para nós e, principalmente para nossos filhos, pois o futuro deles necessita de saúde.

    Por que é importante vacinar as crianças?

    Graças às imunizações ou vacinações, a cerca de 30 anos o Brasil não registra casos de doenças graves que podem causar sérias sequelas nas pessoas, como por exemplo a poliomielite, doença grave que pode levar à paralisia. No entanto, em países vizinhos e em diversas partes do mundo os agentes infecciosos estão em circulação. Recentemente o Brasil passou a registrar novos surtos de sarampo nos estados do Amazonas e Roraima, regiões que receberam imigrantes venezuelanos contaminados, o que poderia não ter acontecido ou acontecido em menores proporções se a taxa de vacinação da população brasileira estivesse dentro das metas. Além disso, com a constante circulação de pessoas entre outros países e continentes, as infecções podem ocorrer entre aqueles que não estão protegidos e serem trazidas para o país, tal como aconteceu com o Corona Vírus.

    Assim, para evitar que as pessoas, sobretudo as crianças aconteçam, manter a carteirinha de imunizações em dia é uma medida fundamental para a manutenção da saúde e prevenção de epidemias. A Organização Mundial da Saúde estima que entre dois a três milhões de mortes são evitadas todos os anos em razão das imunizações.

    Algumas pessoas deixam de vacinar as crianças por desconhecerem o que são as vacinas e a sua importância. Assim, para esclarecer a todos, explique o que são as vacinas.

    As vacinas são preparações que estimulam o sistema imunológico (o sistema de defesa do nosso organismo) a produzir anticorpos, que são os agentes de defesa que atuam contra os micro-organismos que provocam doenças infecciosas. As imunizações ou vacinações geralmente são compostas por agentes infecciosos enfraquecidos ou totalmente inativados.

    As vacinas são seguras e eficazes no controle das doenças?

    Sim. As vacinas são seguras e eficazes na maioria dos casos. A maioria das vacinas protege cerca de 90% a 100% das pessoas, de acordo com informações da Sociedade Brasileira de Imunizações. Essa pequena porcentagem, que pode ficar desprotegida, está relacionada a alguns fatores, como o tipo de vacina aplicada e a resposta imunológica da própria pessoa.

    Com relação à segurança, as vacinas passam por um rigoroso processo de avaliação realizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que analisa os resultados de segurança e eficácia obtidos em estudos para só depois disponibilizá-las à população, tal como está acontecendo agora com a busca pela vacina contra a COVID-19.

    Ao contrário do que muitas pessoas pensam, as vacinas não têm a capacidade de levar ao desenvolvimento das doenças. O que pode acontecer em uma parcela pequena das pessoas (geralmente entre aqueles que estão com o sistema imunológico debilitado) é a manifestação de sintomas semelhantes aos da doença. E por isso é importante notificar o médico sobre quaisquer alterações após a vacinação.

    Existem algumas pessoas e até mesmo grupos na Internet contra a vacinação. Qual cuidado os pais e responsáveis precisam ter em relação às mensagens veiculadas contrárias à vacinação?

    É muito sério o que acontece na Internet em relação a movimentos contra a vacinação, de forma geral. As informações veiculadas não possuem quaisquer comprovações científicas. Não vacinar as crianças porque alguém sugeriu ou afirmou que as vacinas podem ‘provocar o autismo’, por exemplo, é um crime contra a criança e contra a própria vida.

    A história já nos provou que após a descoberta das vacinas, a taxa de mortalidade diminuiu se forma surpreendente, melhorando também a qualidade de vida de toda a população.

    É claro que as pessoas podem reagir de formas diferentes às vacinas, mas são reações esperadas e mantidas sob controle pelos médicos, salvo raríssimas exceções.

    Assim, é importante as pessoas ficarem atentas às falsas notícias e às falsas e perigosas informações que vemos todos os dias na Internet. Não acredite, não repasse, não divulgue mensagens contra a vacinação! Proteja seu filho também da desinformação e da irresponsabilidade que navega na rede. Não acredite em informações sem fonte segura. Os profissionais da Saúde, bem como os pesquisadores do mundo inteiro, dedicam suas vidas para melhorar a qualidade de vida de todos nós! E as vacinas são seguras, importantes e necessárias.

    Se tiver dúvidas sobre as vacinas e/ou também sobre quais imunizações seus filhos precisam tomar, não deixe de conferir o calendário de imunizações do Ministério da Saúde e conversar com o seu médico de confiança. Lembre-se que a prevenção é sempre o caminho mais seguro a ser seguido.

    Não permita que seus filhos adoeçam por ignorância e negligência.

    Especialista responsável – Valeska Magierek. Psicóloga (UFSJ), Neuropsicóloga (FUMEC), Mestre em Psicobiologia (UNIFESP). Experiência há mais de 20 anos na área de Psicologia Infantil e Neuropsicologia. Autora do livro infantil “A semente mágica”. Atualmente atende no Centro AMA de Desenvolvimento em Barbacena, é palestrante e professora em cursos de Pós- Graduação.