• 18ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Homenagem ao Rei: uma vida dedicada ao esporte e à educação

    Professor Delmo, carinhosamente conhecido como “Rei”, faleceu aos 89 de idade, há um mês (10/06), deixando um vasto legado a várias gerações e instituições 

    E aí, rei? Tudo bem? Esta era a frase que o professor Delmo Maria da Silva sempre saudava seus alunos e a todos que o circundavam. Barbacenense, nascido aos 07 de janeiro de 1931, formou-se na Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), iniciando sua vida profissional na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), sediada em Barbacena (MG), no ano de 1952. Carismático e agregador, conquistou a confiança e a admiração de alunos de várias gerações, não apenas pelos aspectos esportivos, mas também pelos cívicos e como figura humana. Através do esporte, o “Rei”, como era carinhosamente conhecido, foi colaborador na preparação de muitos oficiais da Força Aérea Brasileira (FAB) e, também, na formação de alunos da Escola Estadual Professor Soares Ferreira, Colégio Imaculada Conceição e Escola Agrotécnica Diaulas Abreu (atualmente IF Sudeste MG – Campus Barbacena). Fez do esporte uma ótima condição de agregação e união entre as pessoas. 

    Imagine-se com 21 anos de idade, recém-formado e ingressando para atuar com os futuros oficiais do então Ministério da Aeronáutica (Maer). Esse foi o desafio encontrado pelo jovem Delmo, que tinha a responsabilidade de atuar como professor de educação física dos também jovens alunos da EPCAR. Todavia, nenhuma adversidade foi capaz de impedir que sua dedicação o levasse a executar um trabalho de destaque, sendo multicampeão nos diversos torneios de natação enquanto atuou como treinador. Na Seção de Educação Física da EPCAR, além de treinador, atuou também como coordenador. Durante sua carreira foi instrutor do Centro de Estudos de Pessoal do Ministério do Exército e sempre incentivava à prática da ginástica artística. Nas escolas civis, ainda era grande motivador dos tradicionais desfiles da Independência (07 de setembro), onde, à época, havia até premiação para as melhores apresentações. Foi responsável pela criação de várias evoluções nestas escolas, cujas lembranças perduram até os dias de hoje, sendo um dos principais exemplos a pirâmide humana, onde o aluno mais ao alto balançava a Bandeira Nacional. 

    “Lembro-me muito bem da chegada da minha turma à EPCAR. Lá que tive a grande honra e satisfação de conhecer o professor Delmo. Durante três anos, tivemos uma excelente convivência com o “Rei”, não apenas quando na prática de diversos esportes como também pela forma afável e amiga que ele demonstrava com todos. Após 35 anos, voltamos a nos encontrar. Já com alguns cabelos brancos continuava muito dedicado à sua profissão, cultivando os valores da cidadania, do respeito e da amizade. Resta o agradecimento por tudo que ele fez em prol da comunidade barbacenense e dos companheiros da Aeronáutica, com o reconhecimento e a homenagem, em nome dos diversos alunos da EPCAR que tiveram a grata oportunidade de conviver com um personagem tão especial e admirado por todos. Obrigado, Delmo. Deus o acompanhe. De alguma forma, ”preparastes para o futuro os jovens do Brasil1, declarou o atual Ministro do Superior 

    Tribunal Militar (STM), Tenente-Brigadeiro do Ar William de Oliveira Barros, que foi aluno da EPCAR no ano de 1961, voltando a reencontrar o professor Delmo no período em que foi Comandante da Escola, entre os anos de 1996 e 1998. 

    A postura carismática e a alegria contagiante o tornaram uma figura concorrida e de ampla aceitação entre seus alunos, colegas de trabalho e em todos os ambientes que convivia. Além de se destacar por sua capacidade e competência profissional, o professor Delmo também tinha a arte de encantar fora do ambiente de trabalho. Viúva, a Sra. Geni Bruno da Costa Silva nos conta que o Delmo caseiro era uma pessoa afável, gostava de ficar nos cantinhos da casa onde várias de suas homenagens estão expostas e sempre demonstrou um grande amor ao ser humano e à vida. “Ele sempre foi uma pessoa muito transparente e respeitosa com todos. Ele amava as crianças e a juventude como se cada um fosse um filho dele. Mais que um incentivador à prática esportiva, meu rei sempre incentivou seus alunos à vida. Ele amava viver! Tenho certeza que ele foi em paz e com o sentimento do dever cumprido e com muitas amizades. Agradeço a todos os barbacenenses, a todos que conviveram com ele, alunos de todas as escolas por onde ele passou… enfim, agradeço a cada um de vocês pelo carinho que estamos recebendo. Isso nunca será esquecido!”, concluiu, emocionada. 

    O Coronel Reformado Newton Centurião acompanhou o professor Delmo nos últimos 30 anos e também pode detalhar um pouco mais da vida do ser humano apaixonado pelo esporte e pela vida. Como estiveram juntos nesses últimos anos, o Coronel Centurião pode conhecer muito da vida e da história do professor Delmo, nas várias oportunidades em que eram contados casos e histórias vividas pelo mesmo em seus 40 anos de profissão. Uma importante revelação nos é dada pelo oficial: o motivo pelo qual o professor era chamado de “rei”. “Delmo chamava os seus alunos de rei. Faça isso… rei! Não faça aquilo, rei! Para ele, sempre generoso, ativo, vigoroso e protetor, todos os meninos eram reis. A lei universal do retorno se cumpriu, ao ser elevado à condição de REI pelos próprios alunos, aos quais engrandeceu durante toda a sua vida! Um reinado recheado de patriotismo, civismo, valores morais e éticos que faziam parte da formação do caráter do estudante”, finalizou, com trecho de uma homenagem escrita por outro grande amigo do Delmo, Vicente Machado. 

    Aclamado, o nosso Rei recebeu inúmeras homenagens em vida. Na EPCAR, ele sempre foi agraciado pelas turmas que se reencontram na Nascente do Poder Aéreo, além de receber condecorações da EPCAR e da Aeronáutica, com destaque para a Medalha Mérito Desportivo Militar, do Ministério da Defesa (MD). Entretanto, e devido aos seus grandes feitos, o professor Delmo foi também homenageado fora da esfera militar, nas instituições por onde atuou e na cidade de Barbacena. O município conta com ginásios poliesportivos municipais e um deles leva o nome de “Ginásio Poliesportivo Delmo Maria da Silva”. Chefe do executivo municipal há época da inauguração do espaço, o ex-prefeito Célio Copati Mazzoni destacou que o nome do professor Delmo deveria ser eternizado de uma maneira vinculada ao esporte. Este ginásio está localizado nas dependências do Colégio Estadual, onde ele também atuou. “Lá se vai um ser que como por encanto, por magia, tinha o dom de transformar vidas! É o nosso Rei. Sempre será o nosso Rei. Um mestre iluminado que conseguia transformar, instruir e forjar o caráter de gerações e gerações de alunos que passaram por suas mãos. Felizes daqueles que tiveram a oportunidade de conviver com ele. Encerrou uma parte da sua jornada e que leve tudo aquilo que construiu e que nos fique o exemplo daquilo que ele edificou”, enfatizou. 

    Várias foram as manifestações de pesar recebidas pela EPCAR em homenagem ao professor Delmo, inclusive das Escolas da Marinha do Brasil (MB) e do Exército Brasileiro (EB), além de instituições locais e regionais. Tamanha a importância do “Rei” para Barbacena, tendo a Prefeitura inclusive decretado luto oficial de três dias no município. Na EPCAR, dentre outras, foi realizada uma homenagem às margens da piscina – espaço esportivo onde o professor Delmo 

    dedicou sua profissão, com presença restrita aos Comandantes das Unidades da Guarnição, devido ao atual momento da pandemia. Nessa oportunidade, o Brigadeiro do Ar Paulo Ricardo da Silva Mendes fez questão de enaltecer o trabalho e o exemplo que foram eternizados pelo professor Delmo. “Foram 40 anos de dedicação aos alunos e atletas da EPCAR, de amor à profissão, de entrega ao ensino de várias turmas que por aqui passaram. Mesmo aposentado, continuou frequentando e contribuindo nas competições internas e externas, justamente por esse amor que sempre devotou à Escola e à formação dos alunos. Eu vejo que o professor Delmo transcendeu a função de professor, nos deixando esse exemplo de alguém que transmitiu muito mais do que conhecimento, pois transmitiu também valores. O professor Delmo sempre foi e continuará sendo muito querido por todos os integrantes da Força Aérea”, finalizou. 

    No dia 19 de maio de 2016, ano em que o Brasil foi o país-sede das Olimpíadas, o fogo olímpico percorreu as ruas de Barbacena e, obviamente, o “Rei” foi um dos condutores da tocha. Por ocasião das comemorações pelos 70 anos da EPCAR, foi inaugurada a Sala História Professor Fernando Victor, que conta a história da Escola, da vida de aluno da EPCAR e homenageia alguns ícones que por aqui passaram, como o professor Delmo. A foto utilizada no quadro que o destaca, é justamente aquela da histórica condução do fogo olímpico. E, como que se fosse obra do destino, em sua última presença na Escola Preparatória, o professor Delmo veio para eternizar o que já era perene: seu nome para todas as gerações. Naquela ocasião, ele compareceu para realizar a doação da réplica da tocha e da camisa utilizada no dia da condução. Esses objetos encontram-se expostos junto a seu quadro, e como o próprio Delmo mencionou “aqui fica para a eternidade, fica para todas as gerações, né, Rei?!”, fala obtida nos corredores, visto que o mesmo era avesso a concessão de entrevistas e a homenagens a sua pessoa. 

    Entusiasta dos esportes, do civismo, do patriotismo, Delmo deixa um legado para inúmeras gerações. Contribuiu sobremaneira para o desenvolvimento do desporto, dos valores olímpicos, da educação física e do nome da Força Aérea Brasileira. Mais que uma vida, o professor Delmo Maria da Silva é um exemplo para todos nós, de dedicação e amor à educação. As áreas estudantis e esportivas da EPCAR, de Barbacena e de toda a região devem muito a esse ilustre cidadão, que eternamente será lembrado a cada audição da palavra “REI”. 

    Fonte: Seção de Comunicação Social, por Sargento Júlio Fonseca Fotos: Arquivo EPCAR, turma 1967 

    1 Trecho extraído da Canção da EPCAR