• 20ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Contra-Ataque: Tudo como dantes no quartel de Abrantes?

    Sérgio Monteiro

     

    A vitória de Lewis Hamilton no Grande Prêmio do Bahrein, o primeiro da temporada 2021, passa a impressão de que nada mudou na Fórmula 1. Mas não é bem assim. O que se viu em todo o final de semana foi uma Red Bull ainda mais forte, com o holandês Max Verstappen liderando os treinos livres e garantindo a pole position. A vitória do holandês escapou por um detalhe e acabou caindo no colo do inglês, que chega, assim, ao 96ºtriunfo na carreira. Que me desculpem os fãs de Hamilton, que tem plenas condições para continuar quebrando recorde atrás de recorde, mas o equilíbrio que se avizinha é bem mais interessante e dá novo ânimo para quem gosta de automobilismo.

    Verstappen largou na ponta e liderou a corrida até a primeira parada para troca de pneus, quando foi ultrapassado por Hamilton. A estratégia da Mercedes pareceu melhor e colocou o inglês como favorito à vitória. Mesmo assim, o holandês se recuperou na pista e chegou a ultrapassar o adversário nas voltas finais, mas teve que devolver a posição por ter utilizado a parte de fora da pista na curva 4,sendo beneficiado na disputa. Uma pena para quem foi o melhor piloto do final de semana. Tanto é verdade que a disputa promete ser mais acirrada que o chefe da Mercedes, Toto Wolff, admitiu, após a vitória de Hamilton, que duvidava da vitória e que a Red Bull está à frente nesse início de campeonato.

    Hamilton começa a temporada 2021 da mesma forma que encerrou as últimas: erguendo troféu

    Sérgio Perez, estreante na Red Bull, confirmou a boa fase da escuderia. Após um apagão do carro na volta de apresentação, teve que largar dos boxes, na última posição. Ainda assim, fez uma bela corrida de recuperação e chegou em quinto lugar. O companheiro de Hamilton na Mercedes, Valtteri Bottas, completou o pódio, chegando em terceiro e confirmando que essas devem ser, novamente, as equipes que brigarão na ponta do campeonato de pilotos e de construtores.

    As tradicionais McLaren e Ferrari devem brigar pelo posto de terceira equipe da temporada. Na primeira corrida, vantagem para a McLaren, que somou 18 pontos (12 com Lando Norris, que terminou em quarto lugar, e 6 com Daniel Ricciardo, que chegou em sétimo) contra 12 da escuderia italiana (8 conquistados por Charles Leclerc, que terminou a corrida em sexto lugar, e 4 que vieram do oitavo lugar obtido por Carlos Sainz). Alpha Tauri e Aston Martin também pontuaram no primeiro GP do ano.

    A briga promete ser boa e se estende entre os demais pilotos. O espanhol Fernando Alonso está de volta com a Alpíne e fazia uma boa corrida até ter que abandonar. Yuki Tsunoda (Alpha Tauri), Pierre Gasly (Alpha Tauri), Esteban Ocon (Alpine) e Lance Stroll (Aston Martin) são nomes que merecem a nossa atenção e podem dar o que falar durante o ano. Isso, sem contar, é claro, com os alemães Sebastian Vettel (Aston Martin), tetracampeão mundial, e o estreante Mick Schumacher (Haas), filho do heptacampeão Michael Schumacher.

    Schumacher não deve conseguir muito holofote, pois sua equipe tem tudo para ser a pior do grid, apesar da Willians, e dificilmente conseguirá pontos durante o ano. Seu companheiro de equipe, o russo Nikita Mazepin deve chamar mais a atenção, inclusive. Só nesse primeiro final de semana, foram duas rodadas nos treinos e uma na corrida, pouco depois da largada. A temporada começou e as emoções prometem ser muitas. Esse ano serão 23 corridas, um recorde que anima os amantes do automobilismo. Ingredientes não faltam para que 2021 seja o melhor ano da Fórmula 1 em sua história recente. Que venha a próxima corrida, dia 18 de abril, na Emília-Romanha, na Itália.

     

    Imagens: Créditos para Mark Thompson/Getty Images e Clive Mason/Fórmula 1