• 17ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Você já pensou na possibilidade de um ser vivo possuir corpo completamente translúcido?

    “Os chamados sapos de vidro possuem corpo translúcido, permitindo que todos os seus órgãos internos sejam observados, incluindo as pulsações de seu pequeno coração”

    Por Sabrina Medeiros, membro do Centro de Estudos em Ecologia Urbana e Graduanda em Ciências Biológicas, no IF Barbacena, sob orientação do professor e pesquisador, Delton Mendes.

    Os sapos, anfíbios popularmente conhecidos por apresentar pele rugosa com glândulas por todo o corpo se assemelhando a verrugas, podem ser facilmente encontrados a noite, em dias chuvosos ou em locais mais úmidos. Algumas das inúmeras espécies desses indivíduos possuem características bastante peculiares e inimagináveis. Você já pensou na possibilidade de um ser vivo possuir corpo translúcido? Os chamados sapos de vidro possuem tal característica, permitindo quetodos os seus órgãos internos sejam observados, incluindo as pulsações de seu pequeno coração. 

    Esses anfíbios pequeninos, que medem entre 19 e 24 milímetros e pesam de 70 a 80 gramas, têm sido alvo de inúmeros estudos por sua peculiar e fascinante característica. Cientistas da Universidade de Bristol no Reino Unido, da Universidade de McMaster no Canadá e da Universidade das Américas de Quito no Equador, após diversas pesquisas e observações, constataram que a pele translucida desses anfíbios funciona, na verdade, como mecanismo de camuflagem, ou seja, o corpo incolor desses animais os afugenta de possíveis predadores uma vez que emitirão a mesma cor presente no meio em que estão inseridos.Segundo o pesquisador James Barnett (2020) “prevê-se que a transparência seja menos efetiva em espécies terrestres” já que, por conter tecidos especializados com índices de refração semelhantes aos da água, a transparência é relativamente mais comum em espécies aquáticas. 

    Porém, como infelizmente tem ocorrido com muitas espécies no planeta, esses animais são ameaçados pela poluição e destruição de seus hábitats, o que nos leva a refletir sobre como nossas atitudes em relação ao meio ambiente podem causar danos irreversíveis a incontáveis espécies de seres vivos. Por isso, como foi dito por Vanessa K. Verdade, Marianna Dixo e Felipe F. Curcio (2010), “mais importante do que conhecer esses problemas é entender que todos temos responsabilidade pela crise da biodiversidade no mundo. Somos parte dessa sociedade cujas exigências exaurem os recursos do ambiente e será o esforço de todos, somado um a um, que fará a diferença.”

    Apoio para divulgação científica: Samara Auto Peças e Barbacena Online

    PNAS. Imperfecttransparencyandcamouflage in glassfrogs. Disponível em: <https://www.pnas.org/content/117/23/12885.short?rss=1>. Acesso em: 17/06/2020.

    Revista Galileu. Rara espécie de “sapo de vidro” é vista pela primeira vez em 18 anos. Disponível em: <https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Biologia/noticia/2020/01/rara-especie-de-sapo-de-vidro-e-vista-pela-primeira-vez-em-18-anos.html>. Acesso em: 19/06/2020.

    Verdade, V. K.; Dixo, M.; Curcio, F. F. Os riscos de extinção de sapos, rãs e pererecas em decorrência das alterações ambientais. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142010000100014>. Acesso em 19/06/2020.