• 16ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Sobre casulos, ramos e raízes…

    A poesia de Suzana Furtado

    Tudo começa com um susto, ainda que exista um plano,

     para quem estava esperando.

     A vida não cabe em idéia, é sempre surpresa, mergulho profundo…

    Quando rompe o casulo, brota no mundo!

     

     Passa o tempo, bem devagar, no minúsculo universo do início,

    Naquele pequeno mundo novo – mistura estranha do que se sente:

    Medo de perder … culpa consciente,

    Lágrimas de exaustão… garras de leão!

     

    Então o relógio começa a adiantar,

    A simbiose transforma: sai do físico… vai  morar na alma.

    Não mais há a menina: agora é mãe, compreende o tempo, deseja o futuro

    Menos receio, amor maduro.

    O tronco se ajeita, na entorse do tempo.

    Os ramos se alinham, as folhas esvaem-se com o vento.

    As raízes,  fortes, prendem-na à mãe terra até a morte.

    Assim então se renova: nos solstícios que se avizinham… nos belos frutos que principiam. 

    * Poema publicado na Antologia: “Elas, o amor, os ramos”, pela Páginas Editora, em 2020.