• 21ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Que tal mudar nossos hábitos e diminuir a poluição?

    Por Julia Gonçalves, membro do Centro de Estudos em Ecologia Urbana e Graduanda em Ciências Biológicas, no IF Barbacena, e Delton Mendes Francelino, Coordenador do Centro de Estudos em Ecologia Urbana, do IF Barbacena, MG

    Atualmente, muito se fala sobre poluição e seus efeitos nocivos à saúde humana e a natureza. Mas, foi apenas por volta de 1970 que o meio ambiente passou a ser um tema de debate e preocupação. “A partir da década de 70 pode-se dizer que com relação ao meio ambiente o mundo mudou para melhor, pois, novas conferências, novos cursos, palestras, seminários foram criados. E assim passou-se a reconhecer a necessidade da busca por um desenvolvimento econômico mais equilibrado, que respeitasse os recursos naturais do planeta” (SILVA, G. 2017).

    Por definição, poluição nada mais é do que qualquer substancia que, direta ou indiretamente, prejudique a saúde, a segurança e o bem estar da população e da natureza. Existem vários tipos de poluentes que geram efeitos negativos sobre a Terra e eles podem ser classificados de acordo com o material de que são compostos, sua origem ou ainda pelos seus efeitos como é o caso dos POPs, os poluentes orgânicos persistentes que são compostos sintéticos resistentes à degradação e, portanto permanecem no ambiente por muito tempo. Isso quer dizer que essas substâncias apresentam propriedades altamente toxicas e nocivas à saúde já que elas podem se acumular no corpo do organismo.

    Esses poluentes podem ser encontrados em diversos produtos do cotidiano, como, por exemplo, em pesticidas, em alguns produtos que contém corantes, em partes de eletrônicos e em panelas antiaderentes. E, a exposição humana aos POPs pode causar malformações do feto, câncer e danos aos sistemas nervoso, endócrino, reprodutivo e imunológico além de trazer sérios danos as populações silvestres.

    Portanto, fica evidente que, em longo prazo, os POPs podem causar efeitos negativos sobre o ambiente, suas espécies e populações. Dessa forma, o combate e o fim desses poluentes orgânicos deve ser um esforço mundial  que pode começar em nossa própria casa, na qual cada individuo pode evitar utilizar esses produtos, lendo, pesquisando e se informando com a empresa fabricante sobre a presença de compostos poluentes e seus derivados,pois, como já dizia Peter Scott, um dos fundadores da Organização WWF (World WideFund for Nature):“nós não salvaremos tudo que gostaríamos, mas salvaremos muito mais do que se nunca tivéssemos tentado”.

    REFERÊNCIAS:

    https://br.blastingnews.com/ambiente/2017/12/quando-se-iniciou-a-preocupacao-com-o-meio-ambiente-002253767.html

    https://cetesb.sp.gov.br/centroregional/a-convencao/poluentes-organicos-persistentes-pops/

    https://www.ecycle.com.br/1209-poluentes-organicos-persistentes-pops

    http://www.io.usp.br/index.php/oceanos/textos/antartida/31-portugues/publicacoes/series-divulgacao/poluicao/812-poluentes-organicos-persistentes.html