• 14ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Postagens

    Por Débora Ireno Dias

    Há tempos, vemos postagens disparadas nas redes sociais relacionadas ao mesmo assunto. Tem dias, que parece um “ctrl+c – ctrl+v” de um perfil para o outro, tamanha abrangência que determinados temas têm ganhado na nossa vida social-virtual. Tem dias, que não damos mais conta de ver os mesmos memes, as mesmas charges – sejam elas de crítica ou “piadas”. Mas, mesmo que fiquem cansativas aos nossos olhos e sentimentos, precisam acontecer para não nos esquecermos da realidade em que vivemos, do caos em que estamos (alguém ainda duvida?) no âmbito político-social-econômico-sanitário. 

    Em meio às postagens que nos mostram a realidade, uma específica me chamou a atenção esta semana. E não foi nada de política. Foi da realidade que muitas vezes ignoramos por, contraditório, estarmos com a visão grudada nas telas. De repente, pipocou nos “stories” de vários amigos meus e nos grupos de família uma cena magestosa: a lua grande, brilhando num céu limpo, estrelado. 

    Ah, que postagem! Que cena! Ao entrar no meu quarto e ver a grande bola no céu, logo fotografei e compartilhei também. E vi outros amigos de Barbacena, mas também de Vila Velha, do Rio de Janeiro, de São Paulo; vi tios e primos do Pombal, de Juiz de Fora, da Bucaina, dali do Diniz, daqui dos Funcionários; vi conhecidos e desconhecidos postando aquela cena que, certamente, não era só postada, mas também contemplada, apreciada. E me senti unida a cada um deles – tios, primos, amigos, desconhecidos – neste momento. Em meio ao caos, em meio a tantas postagens compartilhadas que nos tiram o chão, nos deixam tristes ou até mesmo algumas que nos trazem esperança, como no caso das vacinas, ver uma postagem que tem um mesmo sentido para tantas pessoas, porém, feita de ângulos diferentes, me fez sorrir. Fez-me ter esperança, fez-me pensar que ainda há espaço para apreciar, respirar, agradecer e compartilhar beleza, leveza, vida! 

    Enquanto cada pessoa postava, imaginei que estávamos todos vivendo um minuto que fosse, em uníssono, de contentamento, de apreciação, de partilha de bons sentimentos, de desejos e anseios.