Take a fresh look at your lifestyle.

Política e politicagem

A crônica de Francisco Santana

1 349

Os sete pecados sociais: política sem princípios, riqueza sem trabalho, prazer sem consciência, conhecimento sem caráter, comércio sem moralidade, ciência sem humanidade e culto sem sacrifício. (Mahatma Gandhi)

 

Há definições que parecem peças de arquiteturas, por serem bem elaboradas e fundamentadas. O seu objetivo às vezes, se perde com as mudanças sociais e pelos homens.

 

Aprendi com o filósofo Grego Aristóteles, que “a política é a ciência que tem por objetivo a felicidade humana e divide-se em ética (que se preocupa com a felicidade individual do homem na Cidade-Estado, ou pólis), e na política propriamente dita (que se preocupa com a felicidade coletiva). A política situa-se no âmbito das ciências práticas, ou seja, as ciências que buscam conhecimento como meio para a ação”. Enfim, a Política é tudo o que se relaciona à busca de ações para o bem estar tanto individual como coletivo.

Quanta profundidade nesse conceito!  Perceberam como ele se preocupou com a felicidade humana e coletiva? O Brasil desde sua descoberta atropelou esse conceito e faz tudo contrário. Cada político cria o seu e que se danem ser humano e sociedade. A forma vil da política se chama politicagem que objetiva atender aos interesses pessoais ou trocar favores particulares em benefício próprio. Política reles e mesquinha de interesses pessoais.

Se você tenciona denegrir a imagem de alguém não precisa mais usar aqueles termos escabrosos, basta chamá-lo de: político! Nesse termo está inserido dezenas de lixos tóxicos. Cuidado com essa doença diagnosticada como política. Em pouco tempo ela aniquila, mata sonhos, esperanças e se não descoberta a tempo, mata corpo e alma. Ela se prolifera rapidamente em terreno fértil como é o solo brasileiro. Remédio que a combate: voto consciente.

Estamos prestes a uma eleição para escolhermos nossos representantes do Executivo e Legislativo Federal e Estadual. As campanhas mal começaram oficialmente e já vemos pela televisão candidatos se digladiando nos debates. Muitos deles defendem as alianças partidárias para se beneficiarem com mais tempo de aparição nos programas da televisão e perdem minutos preciosos acusando o candidato A ou B. Como entender? Seria simulação ou jogo de palavras para impressionar o eleitor? Outro detalhe são as promessas que eles fazem. São planos miraculosos que vão devolver ao nosso povo a confiança, dignidade, credibilidade, o respeito, o patriotismo, mas depois de eleitos se esquecem de tudo. Amnésia total. As promessas de campanhas deveriam ser registradas e se não cumpridas, o eleito deveria ser castigado com perda de mandato, prisão, restituição de dinheiro aos cofres públicos ou passar um longo período na floresta amazônica.

O brasileiro é passional e demonstra isso nos jogos de futebol e na política. Na defesa dos seus preferidos ele perde amigos, dinheiro, a razão e até o seu bem mais precioso que é a vida. Se eles estão no poder é porque nós os colocamos lá. Não adianta reclamar. Ao elegê-los lhes passamos uma procuração outorgando poderes para agirem em nosso nome inclusive para explicitamente roubarem. Somos coniventes com seus atos de corrupção.

Sempre gostei de política e sempre detestei politicagem. Há um grande número de políticos que se perpetuou no poder por conhecer as manhas do poder e o seu eleitorado. Eles cobram com argumentos os favores prestados que vão lhes garantir mais um período no poder. Nós temos a força e não sabemos usá-la. Precisamos sair dessa letargia, marasmo e reagir, votando conscientemente para resgatar das mãos dos corruptos o nosso país e torná-lo mais justo e saudável.

Ao contrário do que se diz, não é a ocasião que faz o ladrão. A ocasião faz o roubo, o ladrão já nasce pronto”. (Castro Alves, jornalista e poeta)

Acorda Brasil! Reaja! Vote conscientemente!

Fonte: Site Política – Brasil Escola/Internet)

1 comentário
  1. NANCY Diz

    EXCELENTE CRÕNICA QUE DEFINE E POLITICA (de antigamente) E POLITICAGEM (que é exercida hoje em dia nfelizmente, denegrindo nosso PAIS), PELA GRANDE MAORIA SE NAO PELA TOTALIDADE DE SEUS MEMBROS. GOSTEI IMENSAMENTE DESTA CRONICA. PRABENS!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.