• 15ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Polícia Civil incinera mais de 300 kg de drogas

    A Polícia Civil de Minas Gerais realizou, nesta quinta-feira (26), a incineração de mais de 300 kg de drogas, nos municípios de Barbacena e Conselheiro Lafaiete. As incinerações aconteceram na empresa Magnus Minerais Metais e Ligas, localizada no município de São João Del Rei e no alto forno da empresa Granha Ligas, em Conselheiro Lafaiete.

    A expressiva quantidade de entorpecentes incinerados é resultado das apreensões realizadas no âmbito das delegacias regionais em Barbacena e Conselheiro Lafaiete. Entre o material havia maconha, cocaína, crack e outras substâncias. A ação contou a presença de representantes da Polícia Civil, Ministério Público e Vigilância Sanitária. “O compromisso da Polícia Civil de Minas Gerais no combate ao tráfico e consumo de drogas ilícitas se traduz na efetivação das prisões dos traficantes, dos procedimentos judiciais que são encaminhados para que o Ministério Público e o Poder Judiciário possam processar esses criminosos e na limpeza das ruas, das vias públicas, das escolas, dessas substâncias que tanto mal trazem à sociedade, aos usuários e às famílias que tanto sofrem com o problema das drogas. A incineração de hoje, somando mais de 300 kg de drogas retiradas das vias públicas é uma tradução do esforço da Polícia Civil mineira no combate as drogas e do nosso compromisso com a saúde e segurança pública e o estado democrático de direito”, destacou o delegado titular da Delegacia Adjunta de Narcóticos em Barbacena, Saulo Rodrigues do Prado.

    A delegada Elenita Pyramo, atual titular da Delegacia Adjunta de Narcóticos em Conselheiro Lafaiete, destacou o elevado número de apreensões de substâncias entorpecentes durante o ano de 2020 no município, afirmando ser fruto de investigações qualificadas de combate ao tráfico de entorpecentes que
    vem sendo realizadas na unidade. “Somente durante o ano de 2020 a quantidade de entorpecentes apreendidos ultrapassou o montante dos últimos quatro anos”, destacou.