• 23ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Páscoa, morte e ressurreição

    A crônica de Francisco Santana

    Para os cristãos, a Páscoa é a passagem de Jesus Cristo da morte para a vida: a Ressurreição. É o renascer para uma vida de amor, fé, compromisso, responsabilidade, justiça, caridade, bondade e paz. 

    É hábito comemorarmos a data com mesas fartas de vinho, bacalhau e chocolate. A gente bebe e come para saudar, elevar e exaltar Jesus Cristo pela ressurreição e por estar hoje, em nossos corações e mentes. E os ovos de Páscoa? Os chineses costumavam distribuir ovos coloridos entre amigos, na primavera, como referência à renovação da vida. O ovo é ingrediente obrigatório na Páscoa. No século XVIII, a igreja adotou oficialmente o ovo como símbolo da ressurreição de Cristo, incorporando assim, um costume não cristão à comemoração. E o coelho? Ele representa a fertilidade no antigo Egito, por sua rapidez em se reproduzir, representa a fecundidade e a capacidade da igreja em multiplicar seus fiéis. 

    A data tem o propósito do renascer para uma vida melhor combatendo os vícios e enaltecendo as virtudes, crescer, espiritualmente para se transformar numa pessoa de bem. Todo ano, renascemos e prometemos viver com dignidade e nos espelhar na célebre frase de Jesus Cristo: Amaivos uns aos outros como eu vos amei”. Para muitos, o desenvolvimento moral fica sempre na intenção. Será que fazemos algo para mudar? Para melhorar? Será que estamos preferindo a virtude ao vício? Esse desejo é de coração?

    Aproveitemos mais esta data para revermos os pedidos do Cristo, para “renovarmos” nossas atitudes. Como disse Celso Martins no livro “Em busca do homem novo”: “Que surja o homem NOVO a partir do homem VELHO. Que do homem velho, coberto de egoísmo, de orgulho, de vaidade, de preconceito, ou seja, coberto de ignorância e inobservância com relação às leis morais, possa surgir, para ventura de todos nós, o homem novo, gerado sob o influxo revitalizante das palavras e dos exemplos de Jesus Cristo, o grande esquecido por muitos de nós, que se agitam na presente sociedade tecnológica, na atual civilização dita e havida como cristã.

    Que este homem novo seja um soldado da Paz neste mundo em guerras. Um lavrador do Bem neste planeta de indiferença e insensibilidade. Um paladino da Justiça neste orbe de injustiças sociais e de tiranias econômicas, políticas e/ou militares. Um defensor da Verdade num plano onde imperam a mentira e o preconceito tantas e tantas vezes em conluios sinistros com as superstições, as crendices e o fanatismo irracional. Que este homem novo, anseio de todos nós, seja um operário da Caridade, como entendia Jesus: Benevolência para com todos, perdão das ofensas, indulgência para com as imperfeições alheias”. 

    Neste ano, a Páscoa apenas nos alegrará pela Ressurreição de Jesus Cristo. Não temos outro motivo para comemorá-la por estarmos vivendo uma pandemia provocada pelo coronavírus que já matou mais de 300 mil seres humanos no Brasil. Esse número crescerá porque a irresponsabilidade de muitas pessoas teima em não acreditar nas normas de segurança. Infelizmente políticos zombaram do seu poder aniquilador deixando-nos num campo de batalha sem armas e condições para lutar contra ele. Há um velho ditado que diz: “guerra avisada não mata ninguém” e mesmo avisado o ceticismo, ignorância e o desrespeito venceram a ciência e hoje estamos de luto pelas perdas de parentes e amigos. É triste ainda ver governantes fecharem os olhos para o que está acontecendo. A nossa Páscoa terá um sabor amargo e só nos resta pedir ajuda a Jesus Cristo para que Ele coloque nos corações e mentes de nossos governantes as importâncias do amor e da vida. O crescimento de nossa economia depende de vidas. Só se vive uma vez e a economia poderá erguer com as vidas que se salvarão. Quanto mais vidas se salvarem, mais a economia crescerá. 

    Vamos fazer uma corrente positiva com elos inquebrantáveis de amor, cada um unido a outro será portador dos cuidados contra o mortal coronavírus: lave as mãos, use máscaras de proteção adequadamente, verifique sua temperatura regularmente, evite grandes multidões, nunca toque seu rosto com as mãos sujas. Agindo assim, salvaremos vidas porque pela escassez de vacinas, tais cuidados nos manterão vivos enquanto elas não chegam. Que a Ressurreição de Cristo nos torne mais educados, responsáveis e comprometidos com a nossa vida e a do nosso semelhante. 

    Lembre-se de que a divindade está dentro de você e que não é necessário ir a uma edificação para estar próximo de Deus, portanto, ore, ore e ore. 

    Que Deus nos ajude!

    Feliz Páscoa!