• 18ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Pais e crianças vão às ruas pedindo retorno das aulas presenciais

    Está sendo convocada pelas redes sociais e pelo perfil oficial do “Escolas Abertas Barbacena” uma manifestação, nesta terça-feira (04), em prol da reabertura das escolas de Barbacena. A concentração será às 15h30, na Praça do Rosário, e a organização pede que pais vistam-se de preto e as crianças com uniformes.

    Ao menos duas escolas particulares de Barbacena haviam retomado as aulas presenciais, seguindo os protocolos de segurança, quando a cidade foi colocada novamente na onda vermelha. Através do promotor Luiz Paulo Bhering, o Ministério Público recomendou a suspensão imediata dessas atividades presenciais. 

    Já no dia 27 de abril, a Defensoria Pública ajuizou uma Ação Civil Pública solicitando ao município a apresentação do “Protocolo sanitário para o retorno seguro e gradativo às atividades presenciais ou híbridas das instituições de ensino municipal”, além de uma medida liminar para apresentação do plano de contingenciamento das ações de prevenção, detecção, controle e tratamento dos casos identificados de Covid-19 e do plano de monitoramento do impacto epidemiológico de eventual retorno às aulas presenciais, bem como a listagem das escolas aptas ao retorno das atividades presenciais e o planejamento para a adequação daquelas que necessitam providências para tal. Também consta pedido de informações sobre a capacitação do corpo docente e funcionários das escolas e a ampla divulgação das medidas para a população do município.

    Em data anterior à Ação Civil Pública, no dia 08 de abril, as defensoras públicas Darcilene da Consolação Neves Pereira e Cássia Rejane Chiericatto haviam enviado à Prefeitura Municipal de Barbacena, um documento no qual solicitava a elaboração e o envio do protocolo de medidas para o retorno às atividades presenciais das instituições de ensino, inclusive relacionadas ao transporte e fornecimento de merenda escolar, dentre outras providências. Dessa forma, diante da não apresentação das diretrizes municipais para adoção de medidas concretas voltadas para cumprir o direito seguro à educação, foi feito o ajuizamento da demanda.