Take a fresh look at your lifestyle.

Oito curiosidades sobre Barbacena que talvez você não saiba…

Por Edson Brandão

2 11.026
  • QUAL SERIA A DATA REAL DO ANIVERSÁRIO DE BARBACENA?

Já comemoramos o aniversário de Barbacena considerando a data de9 de março de 1840, quando pela Lei Provincial 163,  a vila foi elevada à condição cidade. Mas vale lembrar que uma vila já tinha quase todas as atribuições de cidade. Por isso passou a ser considerado o dia 14 de agosto de 1791, quando formalmente fomos separados do Termo da Vila de S. José Del Rei que hoje é o município de Tiradentes. Mas se considerarmos que Barbacena de fato começou a se formar em volta da construção da então Igreja Nova – que é o atual Santuário de Nossa Senhora da Piedade -nossa verdadeira data de nascimento seria também em agosto, quando  o Bispo do Rio de Janeiro, D. Antônio de Gadalupe aqui veio e marcou o lugar que hoje corresponde ao exato local da Matriz. À época,o padre Luiz Pereira da Silva foi nosso primeiro vigário.

A definição do local deu-se no dia 19 de agosto de 1726 e se fosse esta data considerada como o início oficial da formação do arraial,hoje nós estaríamos celebrando 293 anos.

 

  • DELAÇÃO PREMIADA E VAZAMENTOS COMPROMETEDORES…

 

Se você pensa que “delações premiadas” e frases vazadas, ditas em sigilo por mensagem de texto são coisas do Brasil de hoje, nos tempos da Lava Jato é por que você talvez não saiba tudo o que se passou na Inconfidência Mineira.

Para começar, uma das mais conhecidas delaçõespremiadas da história do Brasil foi escrita em Barbacena (então Igreja Nova) no dia 15 de março de 1789, quando o famoso Joaquim Silvério dos Reis,também considerado o mais célebre “traíra” do Brasil, escreveu uma denúncia formal contra os outros inconfidentes. A tal carta foi escrita possivelmente na fazenda dele na região que hoje corresponde ao Pontilhão.

Além de ter gerado todo o processo contra muita gente poderosa,naquil o que hoje poderia ser a“Operação Devassa”, a delação premiada de Joaquim Silvério de fato rendeu para o delator bons prêmios: ele foi perdoado das dívidas com a Coroa portuguesa e foi morar no Maranhão até o fim da vida…

A mesma sorte não tiveram outros Inconfidentes: a começar pelo advogado Cláudio Manoel da Costa que teria se matado na prisão em Ouro Preto e o Tiradentes que condenado eenforcado…Quanto aos vazamentos de mensagem de texto, mesmo sem ter um smartphone e ou aplicativos de mensagens instantâneas, quem se deu mal foi o dono da Fazenda da Borda do Campo, que naquela época era José Ayres Gomes.

Apesar de ser um dos fazendeiros mais ricos Minas Gerais, com muitas terras na região, centenas de cabeças de gado e quase 100 escravos, ele era devedor de muitos impostos para Portugal edeu o azar de ter um texto de sua lavra interceptado pela Polícia Federal da época, que eram os investigadores do inquérito chamado “Autos da Devassa”.

Mesmo não sendo exatamente um homem culto, foi condenado por conta de um poema satírico dedicado ao governo e aos funcionários da Coroa (no caso a coroa também poderia ser a rainha D. Maria Primeira, chamada de Louca, mas que na verdade não era insana e sim umatirana …).

No texto,Ayres Gomes chama os portugueses, dentre outros adjetivos de…Marotos, cães, labregos, malcriados, porcos, baixos, patifes, presumidos, piratas, enfurecidos, piolhentos, sebosos, cusbriados, perdidos e vís.Dentre os impropérios, esclarecemos que “labrego”significa pessoa grossa, já “cusbriado” pode ser uma corruptela de “acobreado”, referente aocobre no sentido de dinheiro, ou um palavrão pior…

O fazendeiro José Ayres Gomes não era lá muito culto, tinha uma letra ruim, mas a prova encontrada alí na Borda do Campo,em Antônio Carlos,  complicou muito a vida dele.Resultado: perdeu suas fazendas, foi expulso do Brasil, morrendo aos 62 anos, pobre e esquecido em Inhambane, em Moçambique, África. Nunca mais voltou para Barbacena.

 

  • BARBACENA, CIDADE DAS ROSAS ? NÃO!  CIDADE DO SAL !

Parece incrível, mas segundo um relatório chamado“Tratado de Geographia Descritiva da Provincia de Minas Geraes” ,  que foi escrito por  José Joaquim da Silva e publicado em 1878, portanto há 140 anos atrás,  Barbacena era o maior centro de distribuição de sal em Minas Gerais,  com 60 mil sacas vendidas por ano. Além disso, nessa época Barbacena tinha fábricas de arreios, liteiras, canastras e cordas…também tinha fábricas de cigarros, de cerveja  e o primeiro leite condensado fabricado no Brasil era produzido pela Família Sá Fortes, com grandes anúncios publicados nos jornais do Rio de Janeiro. Aliás, naquela época, leite condensado era medicinal, dado a crianças e idososenfraquecidos e tido como um alimento perfeito para viagens.

 

  • BARBACENA CIDADE DAS ROSAS? NÃO. CIDADE DOS JORNAIS…

O primeiro jornal de Barbacena começou a ser publicadoem 1836,produziu poucas edições durante três anos e só falava de política…pois era um jornal feito por políticos e para políticos…Se chamava o Parahybuna, pois o rio Paraíbuna na época estava no território de Barbacena, bem como Juiz de Fora que era um distrito de barbacenense.  Mas a cidade depois teve muitos jornais, tantos que alguns títulos eram os mais criativos que se possa imaginar…De uma lista com 253 títulos feita pelo saudoso Prof. Altair Savassios mais curiosos eram: O ESPLENÉTICO (1855), O MEQUETEREFE(1881), A REVOLTA (1889), A VESPA (1889), VIOLETA (1899), O BOI (1900), A FAÍSCA (c. 1903), O DIABO (1906) , O PREGO(1911) , O ESTILHAÇO (1913) , ATXÉ CHIBA! (1913) , O AVACALHADO( c.1914), O PARAFUSO (1915), A SOGRA (1918), O ARRANCA-TOCO (1918) , A CAVEIRA (c.1922), O ALFINETE(1924), O CASCABULHO (1927), O GRITO (1931), O BEM-TI-VI (1932), O PERIQUITO ( Jornal do clube Vila do Carmo na  década de 30)dentre outros…Naturalmente que os jornais com nomes exóticos eram na maioria das vezes voltados para conteúdos humorísticos, costumes, cinema e eram feitos pelos jovens da cidade.  Seriam o equivalente aos atuais memes,blogs e canais de youtube…

O jornal dito sério que durou mais tempo em circulação foi o CIDADE DE BARBACENA, editado de 1898 a 1993, pelo Professor Emílio Gonçalves Júnior e mantido por seus sucessores.

 

  • BARBACENA CIDADE CHEIA DE POLÍTICOS,MAS COM POUCOS ELEITORES…

Segundo os dados estatísticos de Barbacena disponíveis em 1878, a população da cidade era de 5.200 habitantes (aqui,entenda-se a cidade como a sede do município) já o município inteiro incluía todos os distritos e sua  população total era  40 mil habitantes.Dos habitantes da sede estavam habilitados a votar apenas 106 eleitores. Lembrando que pessoas pobres, escravos, mulheres não votavam, só homens brancos e ricos… Aliás, o município inteiro tinha 10.348 escravos isso a apenas dezanos antes da Lei da Abolição, em 1888. Eram distritos de Barbacena nesta época: Lima Duarte, Santos Dumont, Carandai, Bias Fortes, Antônio Carlos, Oliveira Fortes, Paiva, Ressaquinha, Senhorados Remédios,  Desterro do Melo, Ibertiogae Santa Bárbara do Tugúrio.

  • BARBACENA PERDEU A MAIOR PARTE DO SEU PATRIMÔNIO EDIFICADO, MAS PRESERVOU O ESSENCIAL!

O passado colonial e imperial de Barbacena se diluiu na sua paisagem urbana, que na metade do século XX já não guardava quase nada de sua longa história. Porém,poucas cidades podem ter ainda visíveis os marcos edificados da época de sua fundação. No caso de Barbacena, a Fazenda da Borda do Campo e capela de Nossa Senhora da Piedade são marcos anteriores inclusive à constituição da Capitania Minas Gerais,criada em 12 de setembro de 1720,  a partir do desmembramento da capitania de São Paulo e Minas do Ouro. A casa de Câmara e Cadeia, atual Câmara Municipal está no mesmo edifício desde 1791.  A matriz de Nossa Senhora da Piedade, cujas obras determinaram o traçado da cidade, ainda na primeira metade do século XVIII, teve o risco arquitetônico do brigadeiro José Fernandes Pinto Alpoim (1700-1765), também responsável pelo projeto do Palácio dos Governadores, hoje Museu da Inconfidência de Ouro Preto e o Aqueduto da Carioca (Arcos da Lapa), no Rio de Janeiro.

  • PALACIO DE BARBACENA EM LISBOA

 

Quem tem ligações afetivas com Barbacena e for a Lisboa, não deve deixar de ir ao Palácio de Barbacena. Localiza-se na zona oriental da capital portuguesa, entre a Estação Ferroviária e Santa Apolónia. Na região doCampo de Santa Clara,  que tem este nome devido ao Mosteiro das Clarissas, está erguido imponente casarão. Projetado pelo arquiteto Manuel da Costa Negreiros, foi mandado construir por Luís Xavier Furtado de Mendonça, o QuartoVisconde de Barbacena bisavó do “nosso” Visconde de Barbacena,  Luís António Furtado de Castro do Rio de Mendonça e Faro. O filho dele, Francisco Furtado de Castro do Rio de Mendonça e Faro não teve filhos e  edifício foi vendido ao governo e hoje pertence ao Ministério do Exércitoe passou a sediar uma unidade administrativa.

 

  • AFINAL,O QUE SIGNIFICA BARBACENA?

 

Todo mundo já deve ter ouvido esta trovinha…

 

“Uma rua na alegre Barbacena / chama-se Pau de Barbas / e a origem desse nome/ é secular, gigante e excelso tronco/ de uma árvore crínita/ que tem pendente a barbaveneranda/ qual ancião maduro curvado/ ao peso dos anos que passaram/ resiste ao tempo tão firme e quedo/ como se fora duro rochedo/ mas quando sopra a brisa amena/ move-se a barba/  a barba acena…”

Foi escrita pelo padre e poeta satírico barbacenense José Joaquim Correia de Almeida e por muitos tomada como a razão do nome “Barbacena”. Mas é de amplo conhecimento que Barbacena deriva de um título nobiliárquico português que foi instituído desde 1671. Este durou por cerca de 180 anos e foi concedido a setefidalgos portugueses da Família Furtado de Mendonça. Mas a palavra Barbacena pode ter várias origens, no encontro das línguas arcaicas da Península Ibérica e sua influência da dominação moura. Uma das origens pode vir de planta nativa da Europa “Barvacena”, derivada de planta barvosa, ou suas variantes: barveitos, barvedos e barvais…  Masum documento com mais 700 anos de idade cita Barbacena pela primeira vez em Elvas, região do Alentejo ,a pouco mais que 10 km da fronteira com a Espanha. Refere-se a uma antiga aldeia de celtas (povo bárbaro). Literalmente viria da expressão “BarbariScena”, ou “cabana/ choça de Bárbaros.”

2 Comentários
  1. Geraldo Diz

    BARBACENA sempre foi um cenário vivo da história e da cultura brasileira. Habitada por uma gente laboriosa, alegre e gentil, que vive intensamente sua fé e seus sagrados ideais. Lamenta-se, porém, o terrível holocausto brasileiro, que manchou de sangue inocente a cidade.

  2. Dhamn Diz

    Muito bom artigo, obrigado! Barbacena sempre foi uma cidade de muitos segredos! Parabéns

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.