Take a fresh look at your lifestyle.

O que são desastres desnaturais?

A opinião de Delton Mendes Francelino

Tem sido comum, hoje em dia, ouvirmos falar em desastres naturais. Os casos de enchentes, alagamentos, em grandes cidades, e também aqui, em Barbacena, como ocorre do pontilhão, e mesmo derramamentos de terra, como o notado na Baixada Santista, são tidos como desastres naturais, no entanto, isso é um erro, pois, cientificamente, são desastres “desnaturais”. Mas, o que é isso?

 

Desastres desnaturais são todos os episódios/ eventos desastrosos que não seriam provocados naturalmente, por ações da natureza, se não houvesse a interferência humana. Logo, são o contrário de desastres naturais, que são decorrentes de processos naturais, como a queda de um meteorito, um tsunami e vulcanismo. Pense no seguinte: no caso dos alagamentos do Pontilhão, em Barbacena: há certamente milênios ali foi estabelecido um importante curso de água da região, que, em épocas de maior pluviosidade, acaba recebendo mais água, ampliando a área de vazão. Entretanto, sobretudo nos últimos 100 anos, nós canalizamos, “aprisionamos” alguns rios, afluentes, por concreto e asfalto, de tal forma que, em períodos como o atual, com muita pluviosidade, enorme quantidade de água precisa extravasar para algum lugar. O mesmo ocorreu em Belo Horizonte e em vários pontos do país.

 

O aquecimento global é outro exemplo de um macro fator que tem interferência humana, a partir da enorme emissão de gases de efeitos estufa, por nós. Logo, furacões ocorridos em várias partes do mundo (inclusive no Sul do Brasil, anos atrás, o Catarina, o que não ocorria nunca) certamente não aconteceriam em tamanha escala e força se não fossem as condições impostas pela humanidade à atmosfera a partir de nossas ações (é um dentre vários exemplos).Notem que, então, é preciso ter muita atenção com representantes públicos, políticos sobretudo, quando se referem a desastres naturais. Muitas vezes argumentam dessa forma, com o objetivo de se eximir de culpas, como se nada pudesse ser feito, já que é uma “força” da natureza, o que em grande parte das vezes é um equívoco.

 

 Muitos dos incidentes e desastres percebidos nos recentes meses têm forte relação com a forma como nos apropriamos de áreas naturais sem qualquer estudo, planejamento ou senso crítico. O grande desafio mundial para o futuro é preparar as cidades para os impactos cada vez mais freqüentes de desastres desnaturais, o que precisa ser amplamente discutido em todas as esferas, do âmbito municipal ao Federal, dos países à macro escala geopolítica global. 

 

Apoio divulgação científica: Samara Autopeças e Barbacena Online 

NOTA DA REDAÇÃO – Por Delton Mendes Francelino é Prof. Col. Graduação Ciências Biológicas e coordenador do Centro de Estudos em Ecologia Urbana, do IF Barbacena. Diretor do Instituto Curupira e doutorando na UFMG, tem dois livros publicados.