Take a fresh look at your lifestyle.

O desenvolvimento da criança dos 6 aos 12 meses

0 164

Vamos iniciar hoje uma série de temas relacionados ao desenvolvimento global da criança, a partir de cada faixa etária. Muitas pessoas têm curiosidade ou precisam saber sobre o que se deve esperar em cada faixa etária. Esta série ajudará neste sentido: o que podemos esperar em cada faixa etária. Toda criança tem seu desenvolvimento dentro de um padrão esperado. Desenvolvimentos diferentes necessitam de atenção especializada e, em alguns casos, de avaliação e intervenção específicas. Esta série ajudará os pais e responsáveis a identificar dificuldades ou atrasos específicos.

 

  • Quais são as principais características do desenvolvimento físico das crianças de 6 a 12 meses?

 

 

Nesta faixa etária, os músculos, o equilíbrio e o controlo motor estão mais desenvolvidos, já sendo a criança capaz de se sentar sem apoio e de fazer as primeiras tentativas de ficar de pé, agarrando-se a superfícies de apoio (as grades do berço, por exemplo). A partir dos 8 meses, a criança já consegue arrastar-se ou engatinhar. A partir dos 9 meses a criança poderá começar a dar os primeiros passos, apoiando-se nos móveis. Entre os 6 e os 8 meses, a criança já é capaz de segurar os objetos de forma mais firme e estável e de manipulá-los na mão. Por volta dos 10 meses, a criança é já capaz de colocar pequenos pedaços de comida na boca sem ajuda (um biscoito, por exemplo), é capaz de brincar com dois objetos, utilizando as duas mãos, bem como adquire o controle do dedo indicador (ela aprende a apontar).

 

 

  • Quais são as principais características do desenvolvimento intelectual/cognitivo das crianças de 6 a 12 meses?

 

 

Nesta idade, a aprendizagem se faz através dos sentidos, principalmente através da boca. Surge nesta faixa o desenvolvimento da noção de permanência do objeto, ou seja, a noção de que uma coisa continua a existir mesmo que não consiga ver o objeto. Aumentam também as vocalizações. Os gestos acompanham as suas primeiras “conversas”, exprimindo com o corpo aquilo que quer ou sente (por ex., abre e fecha as mãos quando quer alguma coisa). Alguns dos seus sons se parecem progressivamente com palavras, tais como “mamã” ou “papá” e ao longo dos próximos meses a criança vai tentar imitar os sons familiares, embora inicialmente sem significado. A partir dos 8 meses, a criança acrescenta novos sons ao seu vocabulário; os sons das suas vocalizações começam a acompanhar as modulações da conversa dos adultos (utiliza “mamã” e “papá”) com significado. Nesta fase, a criança gosta de que os objetos sejam nomeados e começa a reconhecer palavras familiares como “papa”, “mamã”, “adeus”, sendo progressivamente capaz de associar ações a determinadas palavras (por ex: tchau-tchau” – acenar). A partir dos 10 meses, a noção de causa-efeito se encontra já bem desenvolvida: o bebê sabe exatamente o que vai acontecer quando bate num determinado objeto (produz som) ou quando deixa cair um brinquedo. Começa também a relacionar os objetos com o seu fim (por ex., coloca o telefone junto ao ouvido). Apresenta progressiva melhoria da capacidade de atenção e concentração: consegue manter-se concentrado durante períodos de tempo cada vez mais longos. A primeira palavra poderá surgir por volta dos 10 meses e a partir daí o vocabulário tende a aumentar.


Quais são as principais características do desenvolvimento social das crianças de 6 a 12 meses?

 

A criança está mais sociável, procurando ativamente a interação com quem a rodeia (através das vocalizações, dos gestos e das expressões faciais). Já manifesta comportamentos de imitação, relativamente a pequenas ações que vê os adultos fazerem (por ex., lavar a cara, escovar o cabelo, etc.). A partir dos 10 meses já apresenta maior interesse pela interação com outros bebês ou crianças.

 

 

  • Quais são as principais características do desenvolvimento emocional das crianças de 6 a 12 meses?

 

 

Nesta faixa etária há a formação de um forte laço afetivo com a figura materna (ou a pessoa cuidadora). Nesta fase pode aparecer a ansiedade de separação, que se manifesta quando é separado da mãe ou pessoa cuidadora, mesmo que por breves instantes, mas se trata de uma ansiedade normal no desenvolvimento emocional da criança. Pode aparecer também a ansiedade diante de estranhos: sendo igualmente uma etapa normal do desenvolvimento emocional do bebê e se manifesta quando pessoas desconhecidas o abordam diretamente. A partir dos 8 meses há maior consciência de si próprio; nesta fase é comum as crianças mostrarem preferência por um determinado objeto (um cobertor ou um bichinho de pelúcia, um brinquedo específico, etc.), o qual terá um papel muito importante na vida da criança, ajudando a pegar no sono, acalentar quando estiver triste ou nervosa, etc.

 

 

  • Existem alguns sinais aos quais os pais e responsáveis precisam ficar atentos nesta faixa etária?

 

Sim, existem alguns sinais que os pais podem e precisam ficar atentos. Podem ser passageiros, mas se não cessarem podem significar algumas questões que precisarão ser avaliadas por especialistas. São eles:

  1. Choro excessivo (que não cessa com cuidados e atenção) ou ausência de choro;
  2. Irritabilidade excessiva;
  3. Hipotonia;
  4. Pouca ou nenhuma resposta ou interesse a estímulos ambientais;
  5. Dorme pouco; 
  6. Falta de apego às pessoas de convívio.

 

Caso você note ou perceba alguma coisa de diferente em sua criança, procure e converse com o pediatra. Ele certamente saberá se há alguma alteração no desenvolvimento de sua criança e, se houver, ele fará os encaminhamentos que se fizerem necessários. 

 

NOTA DA REDAÇÃO – Valeska Magierek – Formada em Psicologia pela UFSJ, com especialização em Neuropsicologia pela FUMEC e mestrado em Psicobiologia na Escola Paulista de Medicina (UNIFESP); atua há mais de 20 anos na área de Psicologia Infantil e Neuropsicologia; é Diretora clínica do Centro AMA de Desenvolvimento em Barbacena.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.