Take a fresh look at your lifestyle.

O céu noturno no verão: algumas dicas para observação de estrelas e planetas visíveis nessa estação

0 415

Por Delton Mendes Francelino

Professor Col. na graduação em Ciências Biológicas no IF Barbacena, onde também coordena o Centro de Estudos em Ecologia Urbana. Doutorando na UFMG e Diretor do Instituto Curupira, tem 3 livros publicados.

 

O verão chegou pouco antes do Natal e essa estação é marcada pela instabilidade atmosférica, com bastante chuva para nós aqui no Sudeste do Brasil. No entanto, em noites de céu aberto, é possível observar verdadeiro show de estrelas, planetas e a Lua. Quer algumas dicas de observação? (essas dicas não têm qualquer relação com a astrologia)

 

Primeiramente, é relevante encontrar os horizontes leste e oeste, e é bem simples: basta localizar onde o Sol “nasceu” pela manhã, ou onde a Lua surgiu (se for dia dela estar presente). Aponte para lá com um dos seus braços e o outro para a direção contrária. O horizonte onde o Sol “nasceu” é o Leste, e a região onde ele “desceu”, é o Oeste. Trace uma linha imaginária entre esses dois pontos fechando os braços e a semi circunferência que você fará sobre sua cabeça será a base para você encontrar  estrelas e, possivelmente, planetas (nesse caso, dependerá do dia de observação).

 

Para encontrar algumas estrelas e planetas importantes, oriente-se pela linha imaginária traçada entre Leste e Oeste. Praticamente nela, ou próxima, está o que chamamos de eclíptica, que é a linha imaginária representada pelo movimento da Terra em torno do Sol. Próxima a essa linha, ou literalmente nela, você poderá observar a constelação de Orion (conforme foto abaixo), que tem também 3 estrelas juntinhas, conhecidas popularmente como Três Marias, a Betelgeuse (grande e avermelhada), Rigel (bem brilhante e meio azulada), além de Sirius, uma estrela que faz parte da constelação de Cão Maior, mas que fica muito próxima do quadrante observável das Três Marias. Além dessas estrelas, também é possível observar claramente a constelação de Touro, que tem uma espécie de “V”, com Aldebaram, sua estrelas alfa, muito brilhante e as Plêiades, um “grupinho” de várias estrelas juntinhas!

 

Planetas também poderão ser avistados nessa estação: Vênus (mais brilhante e que também é conhecido em meio popular como estrela Dalva) estará visível bem próximo do pôr do Sol alguns dias; Saturno, Júpiter e Marte também poderão ser vistos, em diferentes horários e dias, durante a noite. Importante destacar que os planetas Urano e Netuno não são visíveis a olho nu, pois estão muito distantes da Terra. Mercúrio pode ser visualizado, mas há muito mais dificuldade. Além de estrelas e planetas, claro que nossa Lua estará facilmente visível como sempre, e em suas fases. Será possível ver também fenômenos interessantes, como “estrelas cadentes”, que na verdade são pequenas pedras que entram em nossa atmosfera como meteoritos, além de satélites e a Estação Espacial Internacional.

 

Sempre válido destacar que essas dicas são baseadas na Astronomia, e não em Astrologia, já que esta última não é uma ciência. Para observar o céu noturno é interessante que você procure um lugar em que haja pouca luz artificial, como postes. Mas, os exemplos que dei logo acima podem ser facilmente vistos mesmo dentro das cidades. Se procurar um lugar mais afastado e escuro, poderá ver muito mais estrelas e outros corpos celestes, entretanto, atente-se à sua segurança. Se tiver um telescópio, nunca o aponte para o Sol ou focos de luz próximos, pois isso pode te cegar. No mais, ter a atenção de observar o céu noturno nos é motivo de grande reflexão e vislumbre, um exercício de contemplação que todos deveriam ter. Dúvidas?Pode mandar mensagem para meu whatsapp: (32) 9 8451 9914.

 

Apoio divulgação científica: Samara Autopeças e Barbacena Online

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.