• 17ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Mulher é morta por ex-companheiro a facadas

    Uma mulher foi morta a facadas na madrugada deste sábado (03) em Congonhas, no bairro Belvedere. A vítima deixou três filhos. O motivo, se é que existe motivo para matar alguém, é sórdido, mesquinho e covarde: fim de um relacionamento.

    Aline Giovanna Policarpo tinha 37 anos e foi assassinada durante a madrugada. Foram mais de 10 facadas desferidas pelo seu ex-companheiro atingindo braços, pernas, barriga e tórax. Os filhos estavam em casa. Ouviram os gritos; um deles teve a dolorosa missão de tentar aplacar a fúria do assassino e tirá-lo de cima da vítima. O autor, de 38 anos, não aceitava a separação de alguém, que segundo pessoas mais próximas, ele próprio traía e agredia.

    Relatos apontam que há três semanas ele havia saído de casa e já estaria se relacionando com outra mulher. Porém, na quinta-feira (1º) foi até a casa de Aline, onde teria argumentado que estava bêbado e ficaria na residência, sendo negada a sua permanência no local.

    Na sexta-feira ele retornou. Desta vez, disse que sairia com os filhos menores, chegou a levá-los para o carro. Aproveitando que estava sozinho com a ex-companheira, entrou no quarto dela, e após ouvir que não haveria retorno começou a desferir os golpes de faca. Ouvindo os gritos da mãe, os filhos que aguardavam no carro gritaram pelo irmão mais velho que estava em casa.

    O agressor, que não sabia da presença do rapaz na casa, foi surpreendido, mas prosseguiu com a ação assassina. A mãe de Aline, uma senhora de 70 anos, que está com dificuldades de locomoção devido a uma queda, também estava na casa re não teve chances de ajudar a filha.

    Aline chegou a ser socorrida, mas faleceu no hospital. Antes de morrer pediu para que o filho cuidasse dos irmãos. Disse que amava os filhos.

    Num destes gestos incompreensíveis, ao ser preso, o agressor ainda argumentou que amava a esposa, que queria seu bem. Ele foi preso em flagrante.

    Fonte: Fato Real