Inversões de valores

Francisco de Santana

Eu fico aborrecido, indignado e muito revoltado quando ouço alguém xingar uma ave ou um animal. Esse gesto é muito comum nos estádios de futebol quando a torcida se revolta com um jogador e o chama de macaco, burro, asno, pombo, veado, avestruz, rinoceronte, arara, pardal, cobra, baleia, rato, gato, cachorro, jacaré e outros da fauna brasileira. Cada nome é dado com as características físicas do jogador. É revoltante.

Cadê a Associação que defende e protege esses animais e aves? Nesse mundo de inversões de valores ela deveria se pronunciar contra os chamados seres humanos que na verdade são os animais sanguinários, briguentos, covardes e cruéis. Infelizmente os animais e aves, com exceção do papagaio, não sabem falar. Se soubessem eles diriam aos tidos seres humanos palavras de repúdio e indignação. 

Onde já se viu chamar um jogador de burro? Burro merece respeito. O certo seria chamar o burro de Antônio, José, Francisco, Fabrício, Roberto, Raimundo, Jairo e etc. Na fauna dos seres humanos jamais faltará material. 

Esse assunto gerou revolta no meio da bicharada. Houve até uma assembléia para discutir projetos e enviar aos políticos com o objetivo de buscar providências. Não foi fácil apaziguar as falas. O papagaio não parava de falar e sempre opinava quando o outro animal falava. O presidente da assembléia foi o Burro que disse para o falante e saliente papagaio: “Por favor, calma, vocês estão agindo como humanos, exijo silêncio de todos, isso porque, quando um burro fala os outros murcham as orelhas. Entenderam? Somente assim a reunião pode prosseguir sem falatórios e intromissões.  

No fim da reunião decidiu-se pelo rompimento temporário com todas as entidades, associações e as organizações não governamentais (ONGs) que defendem os animais. Todas receberão uma cópia da ata para se pronunciarem. Ou fazem a coisa certa ou deixem para outras que queiram ajudar de fato e de direito. Isso porque, as entidades estão se autopromovendo em nosso nome. Fizemos documentos em represália aos maus tratos dos nossos irmãos que ficam expostos nos zoológicos. Sofremos de maus tratos e somos mal alimentados. Pedimos também, proteções para nossos irmãos que habitam na cidade de Tiradentes, sendo atrações turísticas para adultos e crianças, onde puxam charretes com humanos pesando mais de 150 quilos, ficando à mercê de sol e calor escaldante. Uma crueldade. Repudiamos também contra os pontapés, esporadas e chicotadas que ganhamos nos rodeios e exibições nas exposições, cachorros sendo moedas, trabalhando como reprodutores, cujas crias são comercializadas pela cotação do dólar.   

Como não se entendem os Poderes Legislativo e Judiciário, estamos na dúvida para quem enviar a cópia original da ata. Os egos dos componentes dos Poderes Federais estão exaltados. Um acusa o outro de super poder. Nesse imbróglio o Presidente Burro resolveu enviá-la ao Supremo Tribunal Federal (STF), torcendo para que o processo caia nas mãos do Juiz Alexandre de Morais, que decide tudo nesse país de inversões de valores.  Esperamos contar com o seu apoio irrestrito.

                      Burro

PRESIDENTE DO CAOS (CONSELHO DOS ANIMAIS E OUTROS).

⚠️ A reprodução de conteúdo produzido pelo Portal Barbacena Online é vedada a outros veículos de comunicação sem a expressa autorização. 

Comunique ao Portal Barbacena Online equívocos de redação, de informação ou técnicos encontrados nesta página clicando no botão abaixo:

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Aceitar Saiba Mais