Incêndio na Serra de São José continua e já atinge 450 hectares

Continua o combate ao incêndio de grandes proporções que atinge a Serra do São José, na região de Prados, entre São João e Tiradentes, desde o último domingo (05).

Os militares do Corpo de Bombeiros de São João del Rei e os brigadistas do IEF ficaram por todo o dia desta terça-feira (07) combatendo as chamas, mas o controle ainda não foi possível.

Nesta quarta-feira (08) pela manhã, as equipes irão retornar ao o combate. Como as proporções do incêndio só aumentam, o Comando do Corpo de Bombeiros mobilizou um efetivo de cerca de 15 militares que se voluntariaram (todos em sua folga). O IEF também deverá contar com um número maior de brigadistas e há a expectativa do empenho de mais uma aeronave.

O incêndio acontece desde o último domingo (05), quando o fogo começou em uma fazenda na região de Prados e rapidamente se espalhou, vindo a atingir a Serra. Ontem os combates se concentraram na região conhecida como Trilha da Nininha. Uma estimativa inicial é de que as chamas tenham atingido cerca de 450 hectares, se tornando o maior incêndio na Serra nos últimos anos.

Atualização 18:30

Os militares do Corpo de Bombeiros de São João Del Rei e brigadistas do IEF permanecem no combate ao incêndio de grandes proporções que atinge a Serra de São José, na região de Prados, cidade que fica cerca de 28 Km de São João.

Nesta quarta-feira (08) cerca de 25 militares do Corpo de Bombeiros e 33 brigadistas do IEF permanecem trabalhando. Devido à irregularidade do terreno e dificuldade de se acessar a linha de fogo, o deslocamento da tropa é feito por um helicóptero.

De acordo com o Tenente Guimarães, Comandante do Segundo Pelotão de Bombeiros de São João del-Rei, “Conforme a temperatura aumenta ao longo do dia, as chamas se intensificam, o que torna o combate ainda mais complicado. Além disso, esta região da serra é especialmente irregular e a vegetação muito alta e densa. Isso tudo, aliado aos fortes ventos e tempo seco, cria um ambiente favorável para que o fogo se alastre”.

Ainda segundo o Tenente, o auxílio de quatro aeronaves airtractor (aviões com capacidade de pulverizar água na linha de fogo) será de grande ajuda para o controle das chamas. Devido à proporção atingida pelo incêndio, o Comando Regional do Corpo de Bombeiros monitora a situação de perto, verificando a necessidade de empenho de efetivo extra vindo de outras unidades.

Sobre a continuidade dos trabalhos, Guimarães afirma que “Combates a incêndios desta natureza são realizados apenas durante o dia, quando há condições seguras para os trabalhos. Com um efetivo maior e apoio de aeronaves, o controle das chamas se torna mais viável, mas é possível que esta situação ainda se estenda pelo restante da semana”.

Até a noite de ontem a estimativa da área atingida era de cerca de 440 hectares.