Homem é autuado em quase R$ 4 milhões acusado de causar incêndio na Serra de São José

Um homem foi autuado pela PM de Meio ambiente nesta quinta-feira (16) acusado de provocar um incêndio florestal que durou 7 dias e destruiu cerca de 925 hectares na serra de São José. O fogo atingiu as unidades de conservação Refúgio Estadual de Vida Silvestre Libélulas e a Área de Proteção Ambiental, além de afetar as zonas rurais dos municípios de Coronel Xavier Chaves e Prados.

Várias instituições participaram do combate ao incêndio, sendo usados inclusive cinco aeronaves, sendo três aviões e dois helicópteros, além de várias viaturas, 63 brigadistas e 10 bombeiros militares. A PM de Meio ambiente participou das ações com três viaturas, um drone para sobrevôo das áreas afetadas, e seis militares.

Testemunhas que presenciaram o início do incêndio identificaram o possível autor, que foi autuado em R$ 3.830,679. Não foi realizada a prisão em flagrante do indivíduo, já que ele não foi localizado no ato da fiscalização. Além da multa, ele responderá por dois crimes, incêndio florestal e danos patrimoniais.

As áreas afetadas pelo incêndio detalhadas estão descritas abaixo:

148 hectares de cultura agrícola (lavoura de milho) e 29 hectares de floresta plantada (eucalipto) na zona de amortecimento da unidade de conservação de proteção integral.
238 hectares na zona de amortecimento da unidade de conservação de proteção integral.
400 hectares de campo rupestre e 07 hectares de campo/cerrado dentro da unidade de conservação de proteção integral.
103 hectares de floresta estacional sem decidual dentro da unidade de conservação de proteção integral.