Take a fresh look at your lifestyle.

Há dinossauros entre nós!

Por Delton Mendes

0 274

(…) se o meteorito não tivesse atingido a Terra, certamente a humanidade não existiria, pois nossos ancestrais mamíferos jamais conseguiriam evoluir mais complexamente com predadores tão vorazes, como os dinossauros carnívoros.

Todos devem conhecer a história mais propagada sobre os dinossauros e seu suposto fim, há cerca de 65 milhões de anos, a partir da queda e choque de um grande meteorito em nosso planeta. Principalmente em decorrência do cinema, e também de conteúdos não atualizados escolares, muitos erros estão impregnados no imaginário popular sobre  a história desse que é o grupo de seres vivos que mais impressiona e instiga a humanidade. 

Hoje sabemos que os dinossauros não foram completamente extintos com o impacto gerado pelo meteorito. Além disso, é muito importante que as pessoas entendam que, entre 300 e 65 milhões de anos atrás, a diversidade da vida na Terra era muito mais ampla que apenas os grandes répteis. Mamíferos já existiam, bem como todas as outras classes de animais e também reinos de seres. O impacto da enorme rocha espacial contra o planeta prejudicou toda a biodiversidade terrestre daquela época, extinguindo cerca de 75% de toda a vida então existente na Terra.

Os dinossauros são um grupo de répteis (logo, nem todos os répteis são dinossauros), com características muito peculiares. Por relatos fósseis (e biologia molecular), conseguimos ter certeza de que a variedade de espécies dentro desse grupo era enorme, com idiossincrasias que as tornavam morfologicamente muito diversas. Eles viveram no que se chama era Mesozóica, por sua vez, subdivida em períodos: Triássico, Jurássico e Cretáceo. Foram nos dois últimos que a diversificação dos dinossauros se deu com maior intensidade, sobretudo no Cretáceo. Já se sabe, atualmente, que quando o meteorito atingiu a Terra, algo já estava ocorrendo com o planeta, em praticamente todos os continentes, o que nos leva a crer que o que dizimou os dinossauros não foi apenas o impacto do corpo rochoso cósmico, mas um conjunto de fatores associados, o que torna a queda do meteorito um “golpe final”. 

Um fator muito interessante, comprovado nos últimos anos, é que ainda há dinossauros vivendo entre nós: as aves são consideradas dinossauros, a partir de diversos fatores que as insere diretamente nesse grande e antigo grupo de seres vivos. Portanto, sempre que observar pássaros, galinhas, dentre outros, lembre-se que eles são dinossauros, parte dos seres que fantasticamente nos impressionam desde a infância. Outra coisa relevante é saber que, se o meteorito não tivesse atingido a Terra, certamente a humanidade não existiria, pois nossos ancestrais mamíferos jamais conseguiriam evoluir mais complexamente com predadores tão vorazes, como os dinossauros carnívoros. A sua vida, portanto, é decorrente da aleatoriedade que marca a história geral do universo e do nosso próprio planeta.

Por Delton Mendes Francelino: Coordenador do Centro de Estudos em Ecologia Urbana do IF Barbacena/MG e professor Col. da Graduação em Ciências Biológicas. Diretor Geral do Instituto Curupira. 

Apoio divulgação científica: Samara Autopeças

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.