Take a fresh look at your lifestyle.

Existiram dinossauros onde hoje é o Brasil?

0 328

Por Delton Mendes Francelino

Prof. C. Graduação em Ciências Biológicas e coordenador do Centro de Estudos em Ecologia Urbana, no IF Barbacena. Diretor Geral do Instituto Curupira; possui dois livros publicados. É doutorando na UFMG. Contato: 32 9 8451 9914 (whatsapp)

 

Muita gente é fã de dinossauros e de filmes como Jurassic Park e outras produções cinematográficas que marcaram toda uma geração e que, ainda hoje, estão no imaginário popular. Todavia, muitas pessoas não sabem que aqui, onde hoje é o Brasil, podemos encontrar muitos fósseis, em estados como Rio Grande do Sul, Maranhão e até Minas Gerais. Vamos entender melhor tudo isso? Antes de aprofundarmos numa aventura paleontológica em nossas terras, vale a pena relembrar alguns fatos: (1) não mais qualquer dúvida de que um meteorito de cerca de 10km atingiu nosso planeta há 65 milhões de anos, extinguindo uma enorme variedade de espécies e grupos, dentre eles, os dinossauros, que são répteis; (2) hoje, sabemos que as aves são dinossauros, os últimos remanescentes de períodos tão distantes da história da vida na Terra! (3) Outra coisa importante: a humanidade nunca conviveu com grandes répteis dinossauros, uma vez que surgimos no planeta há apenas cerca de 400 mil anos atrás (convivemos apenas com dinossauros aves).

 

Bom, voltando ao tema central, há algo em torno de 300 milhões de anos a Terra não era dividida em vários continentes, como hoje. Havia um macro bloco litosférico, chamado Pangea, que aos poucos começou a se dissociar, de tal maneira que, quando os dinossauros surgiram, exatamente há uns 300 milhões de anos, sua diversificação se deu num macro continente, onde puderam evoluir, adaptar-se e se multiplicar, em várias espécies. À medida que os continentes começaram a se dividir, naturalmente, várias populações de espécies começaram a serem separadas e, ao longo de milhões, ou milhares de anos, mantiveram-se ou deram origem a outras espécies de dinossauros. Relevante destacar que outros grupos de seres vivos já existiam também nesse período, como peixes, anfíbios, répteis (outras variações) e até mamíferos antigos (sem os quais não existiríamos atualmente).

Diante de tudo isso, você já deve ter percebido que, se a Pangea se dividiu milhões de anos atrás e hoje parte dela é a América do Sul, claro que vários desses dinossauros habitavam o espaço onde hoje está o Brasil e todos os países sulamericanos. É por isso que hoje em dia encontramos tantos fósseis por aqui. Dentre as várias espécies de dinossauros que viveram nesse amplo espaço, milhões de anos atrás, destacam-se o Espinossauro, Abelissauro (bem parecido com o T Rex), Carnossauro, Iguanodonte, Titanossauro, Estauricossauro, dentre vários outros. Aqui em Minas Gerais já foram encontrados fósseis de diversas espécies, inclusive de Titanossauro, uma das maiores já registradas no Brasil, do Cretáceo e que podia ter até 15 metros de comprimento, 5 de altura e pesar até 15 toneladas.

Infelizmente ainda existe muita ignorância por parte de pessoas que dizem que estudar fósseis antigos é algo desnecessário, ou então que a ciência mente ao dizer que existiram tantos animais, há tanto tempo atrás. Devemos sempre lembrar que o conhecimento científico é baseado em experimentação, observação, estudo profundo por diversas tecnologias que nos permitem afirmar com certeza absoluta, por exemplo, que a vida na Terra não tem apenas 6 mil anos, como alguns religiosos defendem, mas sim, mais de 3,5 bilhões de anos. Estudar os dinossauros é uma maneira de entendermos a nossa própria evolução como seres vivos, como partes indissociáveis deste planeta, que precisa e merece maior atenção, cuidado e afeto. 

 

Fontes de algumas informações: site da USP e da UFRGS.

Apoio divulgação científica: Samara Autopeças

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.