Take a fresh look at your lifestyle.

Desenvolvendo bons hábitos de estudo

Profª Ms. Valeska Magierek

0 1.224

Para melhorarmos o desempenho escolar precisamos de bons hábitos de estudo, algo que anda fora da moda hoje em dia.

Tal como tudo pode ser aprendido, as falhas no comportamento de estudar também são aprendidas.

Por isso, precisamos estar atentos às falhas mais frequentes que influenciam negativamente no modo de estudar:

  • Falha no controle de estímulos do ambiente de estudo (mais de uma fonte de estímulos, como por exemplo televisão e videogame ligados);
  • Concorrência de rotina extraclasse mais atrativa (prova de matemática/português/aula de inglês/aula de natação tudo no mesmo dia);
  • Equipamentos eletrônicos (tablets, celulares, computadores, videogames, etc);
  • Exigência dos pais superior ao desempenho dos filhos (exigir demais também prejudica!);
  • Ausência de consequências prazerosas ao estudo (estudar também precisa ser prazeroso!);
  • Situações de pressão e punição de pais e professores;
  • Pais fazerem as tarefas escolares da criança.

 

Mas podemos deixar o momento de estudo mais gostoso e produtivo! Veja abaixo algumas dicas das Neurociências para dar uma ajudinha neste processo:

  • Estimular os sentidos favorece a neuroplasticidade! Aulas práticas, experimentação, visitas técnicas com guia de estudo, utilização de recursos audiovisuais são estratégias interessantes. Faça experimentos, visitas em campo, tudo que favoreça a vivência prática do conteúdo.
  • Recontar, rever, repassar: a consolidação das memórias depende da reativação dos circuitos neurais. Portanto, faça mais exercícios para seu filho, estude junto com ele, faça revisões do conteúdo.
  • Despertar a curiosidade: seleção de informações interessantes. Faça link com temas atuais, reportagens da TV, com outros conteúdos aprendidos ou com dados da realidade sociocultural da criança.
  • Cuidar do ambiente de estudo: é fundamental um ambiente tranquilo, sem barulho, sem pessoas interrompendo o momento de estudo. Determine o horário de fazer a tarefa, desligue aparelhos eletrônicos e ajude a criança a se concentrar no conteúdo escolar. O local do estudo é determinante para o aprendizado. Importante o uso de uma mesa ou escrivaninha, assentar-se corretamente na cadeira e ter somente o material de estudo sobre a mesa. Estudar deitado na cama ou assentado de qualquer jeito são posturas erradas e que podem contribuir com a dispersão. Estudar exige disciplina com o local, horário, postura.
  • Incentive a autonomia e os avanços da criança: um ambiente de estímulo, carinho e de reforço dos avanços é fundamental para a criança se sentir confiante, desenvolver a autoestima e autonomia. Diante de uma dificuldade, ajude a criança a descobrir as alternativas, a resolver as questões, a entender o enunciado. Pais devem evitar dar respostas prontas e fazer a tarefa pelos filhos. Elogie sempre, cada conquista, cada avanço, cada tarefa cumprida.

 

Contudo, às vezes, mesmo cuidando de cada detalhe como os vistos no texto acima, algumas crianças apresentam dificuldades importantes na aprendizagem. Para estas precisamos de atenção redobrada e encaminhamento rápido para profissional responsável: o pediatra, o psicólogo, o psiquiatra ou o neurologista!

Crianças precisam de acompanhamento, estímulo, rotina e supervisão das suas atividades. Bons resultados serão proporcionais ao tempo investido e frutos da rotina diária de estudos.

 

NOTA DA REDAÇÃO: Valeska Magierek é Psicóloga, Especialização em Neuropsicologia e Mestre em Psicobiologia. Atua na área Clínica com atendimento de crianças e como Professora Universitária. Diretora Clínica do Centro AMA de Desenvolvimento.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.