• 23ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Da vida real para a ficção: a magnífica Aranha Chicote

    Por Julia Gonçalves, membro do Centro de Estudos em Ecologia Urbana e graduanda em Ciências Biológicas, no IF, sob orientação do professor Delton Mendes

    Quem já assistiu Harry Potter sabe que a saga mostra diversos bichos um tanto curiosos. A maioria, como todos nós sabemos, são fictícios, mas esse não é o caso da aranha-chicote usada pelo professor Alastor Moody em uma de suas aulas durante uma cena do filme Harry Potter e o cálice de fogoA aranha-chicote na verdade não é uma aranha. O amblipígio, seu nome “formal”, é um aracnídeo que faz parte da mesma classe das aranhas, escorpiões e carrapatos” (Megacurioso, 2017). Ao contrário do que o professor diz durante o filme, esse animal, apesar de aparentar ser perigoso, é totalmente inofensivo e também não possui glândulas de veneno.

    No Brasil existem aproximadamente 13 espécies catalogadas desses animais e elas estão distribuídas por todo o país em locais como cavernas e pantanal, atuando como predadoras, alimentando-se de pequenos insetos e outros invertebrados.  Segundo informações da National Geographic (2019), “a bióloga e espeleóloga, que é também Professora de História Natural na Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, já identificou, apenas na última década, 59 novas espécies e 6 novos gêneros”.

    Além disso,o que mais chama a atenção no amblipígio é, sem dúvida, seus pedipalpos. Essas estruturas se parecem com uma pata cheia de espinhos, mas, na verdade, essa é uma adaptação usada para defesa, predação e também para segurar a fêmea durante a reprodução. Outras características interessantes é que possuem quatro pares de olhos que conseguem apenas discernir o claro e o escuro, além de andarem sobre três pares de pernas, já que o primeiro tem apenas função sensorial.

    Apesar de sua aparência um tanto quanto asquerosa,é válido lembrar que esses animais, assim como todos os outros seres vivos da Terra, apresentam importante relevância ecológica, atuando na manutenção e no equilíbrio dos ecossistemas, sendo vitais também para estudos medicinais.  “Mais uma vez, fica evidente a importância de respeitarmos todos os seres, independente de tamanhos e proporções, pois todos fazem parte da indissociável rede ecológica que torna o planeta Terra uma raridade cósmica” (FERREIRA, J. H. G., 2020).

     

    Apoio divulgação científica: Samara Autopeças e Jornal Barbacena Online

    REFERÊNCIAS

    https://br.blastingnews.com/ambiente/2014/12/animais-estranhos-amblypygi-aranha-chicote-00212993.html

    https://www.megacurioso.com.br/animais-sinistros/46947-5-criaturas-sinistras-que-voce-nao-precisa-temer.htm

    https://www.natgeo.pt/animais/2019/03/aracnideo-cavernicola-assustador-raro-e-descoberto-por-uma-portuguesa