• 19ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Cuidar do Outro

    Por Débora Ireno Dias

    Desde criança, trago minha carteira de vacinação. Cor de rosa, com uma letra linda indicando meu nome, marcando todas as vacinas que tomei desde que nasci, há 45 anos! Esta caderneta mostra para mim um tanto de coisa boa: primeiro, o cuidado dos meus Pais comigo, sempre me levando para vacinar nas datas certas, atendendo ao que chamamos de “pacto social e coletivo” pela saúde de todos. Sim, as campanhas de vacinação são isso: um chamado à coletividade! 

    Depois, a caderneta me lembra o quanto as ciências – biológicas, exatas e humanas – são importantes na nossa vida, no dia a dia da nossa sociedade. Cada dose de alguma vacina ali assinalada, cada assinatura de um agente de saúde, significa o estudo, a capacidade, a inteligência, a voluntariedade do Ser Humano para defender a Vida, para que a Vida seja mais bonita e plena para Todos e Todas. 

    Também, a caderneta me lembra o avanço que a nossa Ciência teve ao longo de séculos. O quanto evoluímos em nossa escala da sobrevivência para viver cada vez mais. Com saúde! E este avanço científico e tecnológico é baseado em estudos, na sua maioria, vindo dos bastidores das instituições públicas, feitos por funcionários públicos – tanto no Brasil quanto mundo afora. 

    Ao olhar minha caderneta e ver que minhas vacinas estão em dia, agradeço a Deus que deu o dom da sabedoria, da inteligência, da ciência para o Ser Humano. Agradeço ao Ser Humano, aos cientistas, que souberam usar estes dons para que a “Vida seja sempre mais bonita”. Agradeço aos voluntários que doaram suas vidas aos estudos, acreditando na importância destes para toda a comunidade. Agradeço a quem divulga as campanhas e que incentiva os pais a levarem seus filhos ao posto de saúde para vacinar. Agradeço a cada Pai e Mãe ou Responsável que leva seus filhos, acreditando que em cada dose há Vida. 

    E agora chegou a vacina que muitos desejávamos: a que poderá nos imunizar contra a Covid-19! Mais uma vez, na hora certa de cada grupo, seremos chamados a “cuidar da Vida”, através da vacinação. Meu braço já está pronto, minha caderneta está separada, “já tenho a roupa de ir” como dizem, e este dia será muito celebrado! Mas, até lá – e até grande parcela da população estar imunizada – continuarei usando minha máscara, não me aglomerando, seguindo as regras preconizadas pelas autoridades médicas e sanitárias. É do cuidado com a saúde minha e a do Outro que estou falando!