• 9ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Contra-Ataque: Sentiu o cheirinho? É de taça!

    Sérgio Monteiro

    O Brasileirão 2020 passou de mão em mão. Atlético, Internacional, São Paulo e até mesmo o rebaixado Vasco lideraram a competição. Principal aposta do torcedor brasileiro no início da temporada, o Flamengo viu seus concorrentes disputarem a liderança durante meses. Mas a taça tinha dono. O mesmo dono de 2019. Pela oitava vez em sua história, o Flamengo é o campeão brasileiro. E olha que só foi assumir a ponta na penúltima rodada. Pois é. Lembra aquele cheirinho que vocês tanto falavam? É de taça!

    Está certo que o título de 2020 não foi igual ao de 2019. O Flamengo não sobrou em campo como fez na época de Jorge Jesus. Dessa vez, até troca de técnico teve. E a conquista só foi garantida no apito final. A derrota diante do São Paulo fez o Flamengo flertar com o risco de um gol do Internacional, diante do Corinthians, até o último instante. Caso acontecesse, acabaria com a festa da maior torcida do Brasil. E aconteceu, mas foi corretamente anulado por impedimento.

    Só com o término do jogo de Porto Alegre, os rubro-negros puderam soltar novamente o grito de “campeão” no Morumbi. Festa em São Paulo! Festa no Rio! Festa por todo o Brasil. Mengão campeão rima com festa. Cheirinho de déjà vu? Com emoção, como era na época do mata-mata. Lembrou o título de 80, diante do Atlético, com show de Nunes e um 3 x 2 sofrido. Lembrou a vitória sobre o Inter com gol de Bebeto na Copa União de 87. Lembrou 2009, quando a competição já era por pontos corridos, mas o campeonato também só foi decidido na última rodada. Lembrou o Flamengo de sempre, oito vezes campeão nacional!

    Mal acostumada com o time de 2019, a Nação viveu momentos distintos nesse Brasileirão. O título chegou a parecer distante, quase improvável em alguns tropeços. Mas isso não faz dessa conquista menor do que as outras e a torcida, hoje, nem se lembra dos apertos que passou. Fato é que um elenco com Gabigol, Bruno Henrique, Arrascaeta, Éverton Ribeiro, Pedro e companhia não deve jamais ser carta fora do baralho. Mesmo sob desconfiança, venceu quem tem o DNA de campeão. Esse Flamengo cheira mesmo a taça! Em dois anos, ganhou o Carioca duas vezes, o Brasileiro duas vezes, a Libertadores, a Recopa e a Supercopa do Brasil. E que venha 2021, pois a sede de títulos não acabou na Gávea.

    O título reforça o peso do elenco flamenguista e coloca Rogério Ceni em uma galeria em que ele só marcava presença como jogador. Campeão brasileiro por quatro vezes como goleiro do São Paulo, Ceni é, agora, um técnico com grande título no currículo. Contestado por parte da torcida e até mesmo por alguns jogadores durante o campeonato, ele dá um passo importante na breve carreira, iniciada em 2017, e se valoriza bastante. Na verdade, o credencia a seguir sua trajetória no próprio Flamengo, contrariando uma saída que parecia iminente.

    Mal dá tempo de festejar, embora a torcida esteja em êxtase desde a última madrugada. Na próxima semana já começa o campeonato estadual. Em abril, já tem Libertadores novamente e na sequência a Copa do Brasil e o próprio Brasileirão. Para os flamenguistas, a temporada começa do mesmo jeito que terminou a última: com a tristeza herdada pela pandemia do novo coronavírus e, consequentemente, com os estádios vazios, mas com a alegria de ver o Flamengo soberano no futebol nacional.

     

    Imagem

    Crédito – www.goal.com