Contra-Ataque: Mais do que nunca, é preciso sonhar

Sérgio Monteiro

 

 

Mais do que nunca, é preciso sonhar

 

Segundo Nietzsche, “nada lhe pertence mais do que seus sonhos”. De fato, ele tem razão. Em um mundo tão complicado, ao menos os nossos sonhos não nos serão levados pelo ‘sistema’. Pois que deixem a Massa viver esse sonho lindo que parece estar longe do fim. O atleticano está novamente flertando com o paraíso. Não sabe se comemora a maiúscula vitória sobre o River Plate e a vaga na semifinal da Libertadores ou se acorda para assistir, ainda que pela televisão, a  apresentação do atacante Diego Costa, que promete fazer uma dupla infernal com Hulk no ataque alvinegro.

Que momento mágico vive o Galo! Líder isolado do Brasileirão e firme nas fases decisivas da Copa Libertadores e da Copa do Brasil. As vitórias recentes sobre o River Plate (na Argentina e no Mineirão) e sobre o Palmeiras decretaram que é proibido duvidar desse time montado por Cuca: consistente e cascudo, sim, mas também feroz e faminto. O treinador parece ter encontrado o equilíbrio de seu elenco no ponto exato. Agora, além de não sofrer gols (tem a melhor defesa do Brasileirão e também da Libertadores), os faz com naturalidade, para tristeza de seus adversários e deleite de sua Massa.

O destino sorriu para o atleticano. Ou, pelo menos, para cerca de 17 mil deles. Depois de mais de 500 dias sem poder ver o time de perto, a Massa, ou parte dela, pode presenciar o baile diante dos argentinos, com direito a tango e uma obra-prima de Zaracho. Não poderia ter tido outro enredo o reencontro entre o fiel e apaixonado torcedor alvinegro e o Atlético: um jogão, cheio de emoções, e a classificação para as semifinais. Que venha o Palmeiras, do portuga Abel Ferreira, mas antes é preciso pensar no Fluminense, no Bragantino, no Fortaleza…

Pensar, focar nos objetivos, mas também desfrutar do momento. É direito do torcedor se esbaldar com a inédita eliminação por parte de um clube brasileiro da dupla Boca Juniors e River Plate em uma mesma competição. O sonho não acabou, mas já há motivos para acreditar que a temporada 2021 reserva grandes alegrias para o torcedor alvinegro. É bem verdade que ainda tem muita água pra rolar debaixo da ponte, mas o Atlético está na briga e isso já deixa o seu torcedor enfeitiçado.

É preciso celebrar as nove vitórias seguidas pelo Brasileirão – feito alcançado apenas pelo Internacional na era dos pontos corridos. É justo sonhar que a décima vitória pode vir na segunda-feira, diante do Fluminense de Fred, Egídio e Cazares, uma turma que anda pra lá de engasgada na garganta alvinegra e que, por isso mesmo, tornaria o feito ainda mais especial caso se confirme. Aliás, a semana é para se pensar e muito no Tricolor carioca. São dois confrontos em quatro dias. Segunda, pelo Brasileirão, e quinta, pela Copa do Brasil. Enquanto o torcedor segue sonhando, o time precisa estar bem acordado, afiado e com o mesmo sangue nos olhos que teve diante do River. Circula pelo whatsapp que o atleticano passou, do “eu acredito” de 2013 para o “Meu Deus! Eu não estou acreditando” dos dias atuais. É verdade! Os números da atual temporada são quase que inacreditáveis mesmo. Que a magia de oito anos atrás se faça presente ao final desse semestre e o atleticano tenha, de fato, muitos motivos para festejar. Desde já, acreditamos todos! Afinal de contas, “sonho que se sonha junto é realidade”.

 

Imagem

 

Crédito – Staff Images / Conmebol