• 9ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Contra-Ataque: Começar de novo

    Sérgio Monteiro

     

    Começar de novo

     

    A torcida do América tem motivos de sobra para estar preocupada. Não bastassem a eliminação precoce na Copa do Brasil e o péssimo início de Campeonato Brasileiro – o time não conseguiu pontuar e sequer marcar gols nas três primeiras rodadas e amarga a lanterna – vem agora a notícia do pedido de demissão do treinador Lisca, responsável pela ótima temporada da equipe em 2020.

    Lisca teria pedido demissão por causa do início complicado no Brasileirão e da queda na Copa do Brasil, ainda na terceira fase, diante do Criciúma, que disputa a Série C. De fato, desde a semifinal do Campeonato Mineiro, quando eliminou o Cruzeiro com duas vitórias, o Coelho começou a encontrar mais dificuldades para impor o seu futebol.

    Nas finais do Estadual, diante do Atlético, ficou a sensação de que dava para conquistar o título. O vice-campeonato,por si só, não afetaria o trabalho do treinador, mas a performance do time nos dois empates sem gols incomodou a torcida, dirigentes e o próprio treinador. O América teve boas chances para vencer o primeiro jogo, quando o Atlético mandou a campo uma equipe desfigurada, em virtude dos compromissos do time pela Libertadores. E, na segunda partida, perdeu um pênalti com o atacante Rodolfo, que poderia ter mudado o destino da competição e do América no ano.

    Depois vieram os dois empates com o Criciúma e a eliminação nos pênaltis, e as três derrotas pela Série A do Brasileirão, contra Athletico-PR, Corinthians e Flamengo. Com exceção da desclassificação na Copa do Brasil, resultados que poderiam ser encarados com naturalidade. Mas o conjunto da obra pesou na decisão do treinador. São sete jogos, com quatro empates, três derrotas e apenas dois gols marcados. Um resultado muito aquém do esperado pelo clube.

    Nos bastidores, comenta-se que o pedido de demissão pode estar ligado a um possível convite do Internacional, clube com o qual Lisca tem boas relações. Gaúcho, o treinador iniciou a sua carreira na base do Colorado e, em 2016, chegou a dirigir a equipe principal. Além disso, o diretor de futebol do Internacional, Paulo Bracks, tem uma passagem recente pelo América e foi durante a sua gestão que Lisca chegou. O clube gaúcho, no entanto, despista sobre o possível convite e parece ter outros nomes em pauta nesse momento.

    Fato é que a o pedido de demissão feito por Lisca na segunda-feira, após a derrota para o Flamengo, no Maracanã, pega a diretoria e a torcida do América de surpresa e deixa uma pergunta no ar: e agora? O planejamento feito para o retorno do Coelho à primeira divisão do futebol nacional fica comprometido. O clube precisa encontrar um substituto e a escolha tem que ser certeira. Caso contrário, a permanência na elite fica ameaçada.

    Lisca chegou ao América no início do ano passado e conseguiu resultados expressivos. Em 2020, o time chegou pela primeira vez em sua história à semifinal da Copa do Brasil e alcançou o principal objetivo do ano: o acesso à Série A do Brasileirão. Esse ano, chegou à final do Campeonato Mineiro. Ver o trabalho interrompido de forma repentina deixa o torcedor bastante preocupado. Até porque a expectativa criada era de quebrar o costume de subir em um ano e cair no outro, o que tem acontecido com frequência pelos lados americanos – tem sido assim pelo menos desde a década de 90. As últimas cinco vezes que o time mineiro conseguiu o acesso vieram seguidas de quedas no ano seguinte. Mudar essa realidade é a meta e Lisca tinha um papel fundamental nesse sentido.

    O tom da despedida diz tudo sobre a passagem de Lisca pelo América e a identificação criada com o clube. Sem esconder a emoção, o treinador sabe que valeu a pena ter se rebelado, ter se debatido, ter se machucado, ter virado a mesa e ter sobrevivido nesses quase 20 meses à frente do Coelho. Quanto ao América, resta agora começar de novo, como bem nos ensina o compositor Ivan Lins. Mas tem que ser rápido!

     

    Imagem

     

    Crédito – Estadão