• 10ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Condomínio realiza evento solidário para reconstrução de reservatório

    Com o objetivo de arrecadar fundos para reconstrução da caixa d’água do Residencial Mantiqueira, no dia 16 de agosto (domingo), às 12h, acontecerá uma Feijoada Solidária no salão do Condomínio, que fica no bairro Grogotó, em Barbacena. Devido a pandemia do novo Coronavírus, não será permitido comer no local, assim, deve-se fazer apenas a retirada da refeição. O ingresso custa R$5 e a ação tem o apoio da Polícia Militar de Minas Gerais.

    Essa campanha está sendo promovida pelos moradores do Residencial, que estão desde o dia 19 de dezembro de 2019 tentando solucionar o problema do reservatório de água do condomínio, que sofreu uma deformação em sua base de sustentação.

    Relembrando o caso, no dia 9 de dezembro de 2019, o reservatório de água que abastece um dos blocos de apartamentos do Condomínio Mantiqueira, foi interditado após os moradores ouvirem um estrondo e acionarem os Bombeiros. O reservatório metálico, de aproximadamente 12 metros de altura e 2 metros de diâmetro, apresentou uma deformação na parte superior, em direção a rede elétrica. O síndico do condomínio, que acompanhou a vistoria, esclareceu que o reservatório é dividido em dois compartimentos, sendo que sua divisória localiza-se logo acima do ponto em que houve a deformação. Foi verificado através de inspeção que no compartimento superior havia uma quantidade considerável de água e que o compartimento inferior estava quase totalmente vazio, fato que pode ter ocasionado o colapso. O registro que abastece o compartimento superior foi fechado e a água liberada de dentro do reservatório. Um engenheiro da Prefeitura foi acionado, também, e interditou a estrutura.

    Na mesma semana, uma engenheira da Caixa Econômica Federal esteve no local para análise. A profissional manteve a afirmação, já feita pelo SAS, Bombeiros e pela Defesa Civil, de que, se o reservatório se mantiver vazio, não haverá riscos de queda.

    O condomínio foi um dos construídos pela Caixa Econômica Federal através do programa Minha Casa, Minha Vida. Na época, apesar de já ter terminado a garantia do serviço, a engenheira disse que solicitaria a substituição emergencial da caixa d’água, diante da impossibilidade de reconstrução. Com a aprovação da substituição, ainda seria necessário a abertura de um processo licitatório. Ela afirmou que a causa provável tenha sido “o vento e a corrosão ocasionada pelo tempo e pelos produtos utilizados na água fornecida pela companhia”.

    Uma das alternativas dadas aos moradores, que até então estavam sem água, era o desvio da água da rua direto para os apartamentos, sem passar pelo reservatório. Porém os moradores relataram que não possuíam recursos necessários para executar os serviços e afirmaram também que a Copasa estava se recusando a ajudar.

    A Caixa Econômica Federal estipulou um prazo de 90 dias para o conserto. Porém, até junho deste ano não houve um retorno para as 180 famílias que foram impactadas com o problema e esperavam uma solução.  

    No final mês passado, a Instituição enviou ao Condomínio Mantiqueira mais dois engenheiros para avaliarem a situação do reservatório de água. O laudo, assinado por Ivo Carvalho, responsável pela Engenharia da Caixa Econômica Federal (CEF) – GIHAB/JF, apontou que a origem do problema era uma corrosão (ferrugem) possivelmente ocasionada pelo gás emitido pela água tratada, que fica suspenso entre o limite máximo de água e o fundo do reservatório, no espaço definido para ser periodicamente avaliado e reparado. A parte inferior do reservatório estava vazia e a superior cheia, o que causou o tombamento. O prazo de garantia de assistência da Caixa, responsável pela execução do Minha Casa, Minha Vida, era de 5 anos e expirou em julho de 2018.Assim,a responsabilidade pela manutenção do reservatório passou para o Residencial, incluindo a de limpeza e o reparo de possíveis pontos de corrosão.

    Para resolver o problema, momentaneamente os moradores, com a ajuda dos profissionais do SAS, fizeram a transmissão direta da água, fornecida pela Copasa, para os apartamentos. Ainda assim, os moradores têm buscado as melhorias para o condomínio, através da legalização do empreendimento.

    Um orçamento apresentado ao síndico do Condomínio indica que uma nova estrutura e caixa d’água terão o custo final de R$ 31 mil.

    Leia também: