Como identificar e lidar com o ‘comportamento suicida’ na infância e adolescência?

A identificação do risco pelos pais, médicos, professores e amigos é fundamental quando falamos de prevenção do suicídio. Pais, médicos, professores e amigos podem estar numa posição que lhes permita identificar as crianças que podem tentar o suicídio, em particular aquelas que tiveram uma recente mudança de comportamento.

As crianças que exprimem abertamente pensamentos de suicídio (como “quem me dera nunca ter nascido” ou “gostaria de dormir e nunca mais acordar”) estão sob risco, da mesma forma que crianças com sinais mais sutis, como retraimento social, fracasso escolar ou abrir mão de objetos preferidos.

Conversar diretamente a crianças sob risco sobre ideação suicida pode revelar importantes questões que estão contribuindo para a angústia da criança. A identificação dessas questões pode, por sua vez, levar a intervenções significativas.

Além disso, as seguintes ações podem ajudar a reduzir o risco de suicídio: 1.Obter assistência eficaz para o tratamento de distúrbios mentais, físicos ou relacionados ao uso de substâncias; 2. Poder ter acesso fácil a serviços de saúde mental; 3. Obter apoio da família e do meio social no qual está inserido; 4. Aprender estratégias eficazes para resolver conflitos; 5. Ter crenças culturais e religiosas que desencorajam o suicídio.

As crianças que expressam pensamentos de querer se machucar ou que tentam cometer suicídio precisam de avaliação médica e psicológica urgente. Qualquer tipo de tentativa de suicídio deve ser levada a sério, porque um terço das crianças que cometem o suicídio já havia tentado antes, às vezes em uma tentativa aparentemente trivial, como fazendo alguns arranhões superficiais no pulso ou engolindo algumas pílulas.

Geralmente é necessário acompanhamento com um psiquiatra, que pode oferecer o tratamento medicamentoso adequado, e para um psicólogo que pode oferecer tratamento psicoterapêutico como. O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e o Centro de Valorização da Vida (CVV) são instituições que podem contribuir com acolhimento e suporte.

#setembroamarelo #prevencao #valorizacaodavida #psicologia #psicologiainfantil #neuropsicologia #barbacena #centroamadesenvolvimento