• 21ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Campanha quer testar casos da Covid-19 em idosos e funcionários de asilos

    O Rotary Club de Barbacena iniciou em Barbacena a campanha “Corona Zero”. O projeto, desenvolvido em parceria com a Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite e está acontecendo a nível nacional, busca combater o coronavírus nas Casas Asilares. Segundo pesquisas realizadas recentemente, há um número considerável dessas residências que apresentam surtos da doença, afetando tanto os residentes quanto os funcionários, e identificando 20% dos casos de morte por Coronavírus. 

    O clube de serviço irá testar os residentes e os funcionários das Casas Asilares da região, pelo método de PCR, e irá doar todo o material necessário para o exame, que inclui os kits para coleta, os equipamentos de proteção individual, o transporte do material e a realização dos testes, não havendo nenhum custo por parte das instituições. A primeira ação foi no Instituto Mauro e Alcides Ferreira onde foram testadas 108 pessoas. Os demais asilos também serão contemplados pelo projeto. 

    De acordo com a médica Isaura Vargas de Oliveira, rotariana pertencente ao quadro do Rotary Club Barbacena Monte Mário, é importante lembrar que os asilos apresentam a população mais vulnerável ao Coronavírus. “Os idosos são uma população diferenciada no sentido da resposta imunológica. As pessoas idosas padecem da chamada imunosenescência, que é o envelhecimento imunológico, o qual está associado ao progressivo declínio da função imune, deixando estas pessoas mais susceptíveis a inúmeras doenças, dentre elas as infecções”, explicou.

    Quanto aos exames e os resultados, Isaura ainda explicou que “após a coleta, uma empresa especializada em transporte de material biológico será a responsável pelo translado deste material até a cidade de Barueri, em São Paulo, onde os exames serão realizados. Num prazo entre 3 a 5 dias os resultados serão encaminhados aos médicos locais que estão trabalhando no projeto para que as providências necessárias possam ser tomadas, especialmente no que diz respeito a tratamento dos sintomáticos e isolamento dos casos e dos contactantes”, finalizou.