• 11ºC
    Barbacena, MG Previsão completa
  • Caçador de mim

    Pensar que apenas os jovens se drogam é um ledo engano. Esse hábito se dissemina com rapidez indiferente a sexo, idade ou classe social. Há quem o aceite passivamente e aquele que luta bravamente para desvencilhar-se dele. A tarefa é árdua, o caminho é espinhento, a luta é diária e necessitamos da ajuda profissional espiritual. O reconhecimento da doença e o desejo da cura são fatores primordiais para que possamos aceitar ajuda e colocar esse desejo em prática. 

     

    Comentei com um amigo que sou usuário de drogas. Ele franziu a testa e disse: “por que eu não sabia?” Respondi dizendo que a minha vida é privada. Como idoso, sempre critiquei essa droga que a cada dia se multiplica e que indiretamente vem matando sonhos e realidades. Estou colhendo o que plantei. Os problemas dos outros são deles e não me cabe julgar ninguém. Eu é quem sei que não é fácil controlar o ímpeto que ela provoca. Quando mais a uso, mais me vicio. Vontades e desejos são incontroláveis. Pode crer. Ela me isola entre as quatro paredes do quarto. Os colegas cada vez mais distantes perguntam aos meus familiares se morri. A minha vida social é passado. Lá fiquei e me transformei em história.  

     

    Meus filhos e minha esposa perceberam em mim mudanças comportamentais e concluíram que eu necessitava de cuidados médicos. Um clínico e amigo ficou abalado com minha confissão. Disse que eu tinha uma família linda para criar e amar. Que eu não era mais um jovem e que parasse de usar essa maldita droga porque há vida depois das minhas janelas e me enviou para uma psiquiatra. Essa, ao ouvir meus relatos me indicou terapias e me repassou para a psicologia. Um amigo confidente quer me levar para participar das reuniões de uma associação que cuida dos dependentes químicos e outros. Estou amadurecendo a ideia. 

     

    Só quem convive com esse mal e quer se curar, conhece o seu poderio de apego. Deus testemunha a minha luta e vai me curar. Conto também com a ajuda dos amigos e dos familiares que querem o meu retorno ao convívio deles novamente. A tarefa é árdua, sei que vou precisar de muita força de vontade e do amor próprio para me curar. Vou tentar viver de dentro para fora e não de fora para dentro. Os desejos e vontades são fortes e a abstinência castiga muito mais. Sinto insônia, ansiedade, dores de cabeça, dores nos dedos das mãos, dificuldade de enxergar, desatenção e desleixo com a minha aparência. Não sobra tempo para mim. O vício me aniquila.  

     

    Já venci outras drogas pela fé, determinação e ajuda familiar. Hoje, me considero plenamente curado, mesmo sabendo que me viciei usando drogas fracas como telejornais, baixo nível da música popular brasileira, desperdício de votos a políticos corruptos e ineficazes, programas de auditórios na televisão, novelas, reality show e o charlatanismo de falsos profetas. Ainda bem que eu era usuário e não traficante. Com o tempo de sobra apliquei no outro vício. 

     

    Agora é me fortalecer para combater essa droga poderosa que tem tirado o meu sossego e sono. Não quero mais sofrer e nem fazer sofrer meus familiares que estão me apoiando. Medito, tomo pela manhã uma pílula do Evangelho Espírita, leio livros de auto-ajuda e pedido a Deus e aos Espíritos Protetores que me livrem dela o mais urgente possível. Necessito de sabedoria, fé e amor. Talvez, amigo leitor, você também esteja sendo drogado aos poucos como eu fui e com o passar do tempo você será dominado por ele completamente. Eu me refiro à poderosa droga do momento que se chama aparelho celular. Ele nos vicia como um conta gotas, aos poucos e a gente não mede as consequências do tanto mal que ele faz. 

     

    Essa tecnologia veio para nosso domínio e facilitar a nossa vida. De repente somos dominados por ela, uma vilã que tem arruinado as relações sociais e a saúde de muita gente. O celular tem seus atrativos e encantos. Quase que mensalmente somos seduzidos pelos novos modelos e pelos seus aplicativos, jogos, fotos, vídeos, postagens que mexem com o nosso emocional. Há aparelho que se aproxima dos 8 mil. Se você se atualizar faça suas contas. É preciso equilíbrio para que ele não lhe seja prejudicial. Graças a Deus há correntes do bem trabalhando comigo para me livrar dessa droga que chegou de mansinho e me envolveu por inteiro. 

     

    Que Deus me ajude.