Take a fresh look at your lifestyle.

Briófitas – pequenas plantas vasculares de muita importância para o planeta

0 70

“Há diversas evidências de que as primeiras plantas existentes em nosso planeta tenham uma enorme semelhança com as briófitas, o que nos ajuda a compreender seu surgimento e como começaram a alterar o ambiente, propiciando a nossa atual existência.”

As briófitas, que podem ser divididas em hepáticas, musgos e antóceros, são seres vivos do reino das plantas e possuem tamanho muito pequeno se comparadas aos diversos outros vegetais, de outros grupos, podendo ser folhosas ou talosas, frequentemente crescendo em locais úmidos, nas florestas temperadas e tropicais. Possuem uma vasta diversidade e são importantes pela grande quantidade de carbono que conseguem armazenar, desempenhando, assim, um inimaginável papel no ciclo global do carbono (absorvem a energia solar e CO2 da atmosfera)

Há diversas evidências de que as primeiras plantas existentes em nosso planeta tinham uma enorme semelhança com as briófitas, o que nos ajuda a compreender como os primeiros vegetais surgiram e começaram a alterar o ambiente, atualmente propício à nossa existência. Existem diversas semelhanças desses seres vivos com Líquens (associação simbiótica entre um fungo e uma alga verde ou azul), uma vez que são colonizadoras iniciais das superfícies de rochas e solos, além de serem muito sensíveis a ambientes poluídos, não conseguindo sobreviver neles. 

Essas plantas podem se reproduzir tanto de forma sexuada (com sexo) quanto de forma assexuada (sem sexo). Na forma sexuada esses seres possuem gametófitos de sexos separados. Em época de reprodução esses gametófitos produzem uma estrutura geralmente na região apical e ali os gametas são produzidos. Os gametófitos masculinos produzem gametas móveis chamados anterozoides, já os femininos produzem gametas imóveis chamados oosferas e esses são facilmente identificados em masculino e feminino de acordo com a parte superior do gametófito. 

Os gametângios masculinos são formados em gametóforos cuja parte de cima apresenta formato discoide, enquanto que o gameta feminino origina de um gametóforo com forma semelhante a guarda-chuva. É importante lembrar que quando os gametas masculinos são produzidos é essencial a presença de água, uma vez que podem ser levados até a planta feminina por pingos que caem e respingam. Apesar de pequenas, essas plantas ajudam muito nossos ecossistemas, sendo de grande importância ecológica, tornando o ambiente em que vivemos mais rico e diverso.

Em término, nota-se que as briófitas possuem uma vasta relevância na natureza, podendo atuar como espécies pioneiras em diversos ambientes, além de apresentarem importante papel no ciclo global do carbono, como já mencionado acima. A partir disso, fica clara a importância da conservação do espaço natural no qual vivemos, valorizando também as plantas de menor porte, que muitas vezes passam despercebidas aos nossos olhos, mas que contribuem para a existência e manutenção de significativa parcela da biodiversidade e ecossistemas terrestres. Na natureza, a importância dos seres não se mede por seu tamanho, mas, sobretudo, por suas funções e associações, numa rede imbricada de relações! 

Por Sabrina Medeiros (membro do Centro de Estudos em Ecologia Urbana do IF Sudeste Barbacena/MG e graduanda em Ciências Biológicas) sob orientação do Prof. Delton Mendes

Apoio divulgação científica: Samara Autopeças e Jornal Barbacena Online

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.