Take a fresh look at your lifestyle.

Bombeiros resgatam cão preso a 300 metros de altura

3 810

Bombeiros resgataram um cachorro no dia 24 de setembro, em Oliveira Fortes, precisamente na localidade “Japão”, em uma pedreira de granito desativada. Os relatos de moradores eram de que o cão latia muito no alto da montanha, agonizando por socorro.

O cão teria entrado em um dos buracos a procura de algum animal e não conseguiu sair. As buscas foram incessantes e durante todos os dias os bombeiros revezavam-se buscando uma melhor maneira de socorrer e resgatar o animal. O trabalho chegou a ser interrompido no final de semana em razão da chuva e neblina.

O empenho e a ajuda dos populares foi de suma importância, pois estes conhecem os locais e ofereceram toda ajuda aos Bombeiros. A noticia rapidamente se espalhou na região, que se solidarizou com o caso. Finalmente, na manhã de segunda-feira (30), outra equipe deslocou-se ao local embreando-se na mata, em locais de difícil acesso, mas já não ouviam latidos ou uivos do animal. No final da tarde o cão foi encontrado a cerca de 300 metros de altura, em uma pequena fresta entre as rochas. Segundo o Tenente Adriano Loures, que comandou as operações, o animal ficou preso, pois não conseguia se contorcer ou virar para sair do buraco. Ele foi resgatado bastante debilitado, já que se alimentava somente da água que escorria entre as rochas, estava com hipotermia, ferimento nas patas e não conseguia se alimentar. O animal foi levado ao quartel dos bombeiros que em seguida o encaminhariam a uma veterinária. Depois de recuperado, ele será levado de volta à cidade de Oliveira Fortes.

3 Comentários
  1. Janaina Diz

    Ainda bem que restaram o caõzinho, ainda existem pessoas de bom coração!

  2. Paulo Diz

    Parabéns ao bravos! Independente qual vida, o que importa é salvar! E que as pessoas parem de utilizar os cachorros para prática de caça! Seria importante a PMMG Ambiental reforçar a comunicação dessas ilegalidades…

    1. Paulo Diz

      Retificando
      … a comunicação CONTRA essas ilegalidades…

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.