Take a fresh look at your lifestyle.

As estrelas – do fascínio ao observá-las no céu ao maravilhamento de saber que sem elas não existiríamos

0 116

Você já parou para pensar o quão aqueles pequenos pontinhos brilhantes que aparecem no céu a noite são importantes para toda e qualquer forma de vida existente no planeta Terra?

Por Sabrina Medeiros (membro do Centro de Estudos em Ecologia Urbana do IF Sudeste Barbacena/MG e graduanda em Ciências Biológicas) sob orientação do Prof. Delton Mendes. 

Uma estrela é uma grande e luminosa esfera de plasma, mantida íntegra pela gravidade e pela pressão radial. Quando observamos esses pequenos e brilhantes pontos de luz no céu noturno, estamos vendo, na verdade, o seu passado. Isso porque, no momento em que enxergamos uma estrela, estamos captando a luz que ela emitiu para o espaço milhões de anos atrás. Essa luz então é uma forma de energia que viaja à incrível velocidade de cerca de 300.000 quilômetros por segundo! Assim como nós e tudo o que conhecemos, as estrelas possuem um determinado tempo de “vida”, podendo existir por bilhões de anos. 

Você já parou para pensar o quão aqueles pontinhos brilhantes que aparecem no céu à noite podem ser importantes para toda e qualquer forma de vida existente no planeta Terra? Não se esqueça também que o Sol é uma dentre incontáveis outras estrelas, que sempre fascinaram nossos olhos, despertando-nos extrema curiosidade sobre como tudo, de fato, existe. Nosso Universo é algo praticamente indescritível e desenvolveu, com o passar de muito tempo, condições ideais para abrigar a vida. Somente em nossa galáxia, a Via Láctea, há centenas de bilhões de estrelas e toda e qualquer condição de vida só é possível graças a elas, que não só nos fornecem energia, mas também fazem parte do nosso corpo. 

As primeiras estrelas “nasceram” por volta de 100 milhões de anos depois do Big Bang (que aconteceu há 13,7 bilhões de anos), em condições bastante diferentes das que formam novas estrelas hoje. No espaço primitivo só existiam os elementos químicos hidrogênio e hélio. A forte gravidade e a temperatura que uma estrela possui dentro de si “agitam” os átomos dos elementos químicos tão violentamente que os fundem, criando novos elementos, dos quais somos feitos. O calor gerado por sua explosão libera diversos elementos que são essenciais à nossa vida como o carbono, nitrogênio e oxigênio, além de ferro, fósforo e todos os outros da tabela periódica.

Com isso, é possível retomar as palavras do astrônomo americano Carl Sagan, que dizia que nós – humanos, seres vivos da Terra, o próprio planeta e todo o sistema solar – somos poeiras das estrelas, visto que, através da explosão/morte desses corpos celestes há a produção e liberação de elementos vitais aos seres vivos. Agora, ao olhar para o céu e avistar uma estrela, imagine o quão esse pequeno ponto luminoso é importante para a existência de tudo isso que chamamos de Cosmos. Ainda segundo Sagan: “A vida é apenas um vislumbre passageiro das maravilhas que existem no Universo.”

Apoio divulgação científica: Samara Autopeças

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.