Take a fresh look at your lifestyle.

Amor, substantivo comum ou raro?

A crônica de Francisco Santana

0 204

Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?”

(Fernando Pessoa).

 

Amor- estão vulgarizando-o e culpando-o por todas as desavenças, intrigas, dinheiro e feminicídios. Tudo em nome do amor hipócrita, leviano e mentiroso. Não se preocupe, o bem sempre vence o mal e você é o sentimento preferido por todos. Você continua encantando os poetas, filósofos, enamorados, inspirando melodias e de repente, atrocidades são cometidas e colocam a culpa em você. Será que existe o bom amor e o mau amor? Aprendi no catecismo que o amor é paciente, bondoso, não inveja, não se vangloria, não se orgulha, não maltrata, não se ira facilmente e não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.

O amor sincero, leal, sem posse, nos revigora e nos anima a viver com alegria, felicidade e sabedoria. Ele está aqui, lá, acolá, no ar e em todo lugar.  É forte e se infiltra nos corações endurecidos e estéreis, tornando-os sensíveis e receptíveis. Numa definição simples, amor é “uma emoção ou sentimento que leva uma pessoa a desejar o bem a outra pessoa ou a uma coisa. O uso do vocábulo, contudo, lhe empresta outros tantos significados, quer comuns, quer conforme a ótica de apreciação, tal como nas religiões, na filosofia e nas ciências humanas”.

Há quem diga que o amor nos lembra namoro e namorar nos lembra atração e inspiração. A sensibilidade está nos dedos, nas mãos, no olhar, nas palavras, no silêncio, nos lábios, na língua e nos poros. As emoções fisiológicas aceleram os ritmos cardíacos, a respiração fica ofegante, perdemos fala e há tremores. Ao designar amor refiro-me ao sentimento entre seres humanos não importando sexo, identidade, nome, estado civil ou opção religiosa. O importante é amar com intensidade, ter coragem para senti-lo e declará-lo. Para os animais temos um amor todo especial.

O amor não declarado sufoca e faz sofrer, falta-nos coragem para exteriorizá-lo. Perturbações e lágrimas afloram A emoção reprimida pode provocar “uma ideia fixa, uma fobia ou pode persistir sob a forma de uma inquietude, de um desejo de agitação ou de uma tendência contínua à distração (Guerreiro). O amor verdadeiro não se desgasta, quando mais se dá mais se tem. Amai bastante para ser amado. O mundo precisa de amor. O contrário de amor não é a raiva e tampouco ira e sim, a indiferença. Como dói se sentir assim!

E quando vem a paixão? Que sentimento é esse? Paixão não é sentimento. A paixão pertence ao mundo da personalidade, enquanto os sentimentos emanam do ego superior O amor é um sentimento controlado, puro, altruísta e a paixão é a forma vil e egoísta de amar. O amor você domina, a paixão não. Amor não é posse, perdoar é amar. A paixão instiga o ódio e “a diferença do amor e do ódio, é que pelo ódio a gente mata e pelo amor a gente morre”. (Renato Russo).   

 

O que dizer das conexões de alma? Elas acontecem quando duas pessoas estabelecem entre si um vínculo forte e profundo, que vai além de tempo e espaço.  Ao contrário do que se pode pensar, esse vínculo vai muito além do romantismo, luxúria, imagem, mas na riqueza de sua alma e nas vibrações que ela emite.  Nossas almas gêmeas podem ser um irmão, tio, amigo, qualquer outra pessoa.

Há outro amor significativo e importante da nossa vida que nos fortalece diante dos problemas cotidianos na busca da felicidade. Ele se chama Amor Próprio. “Ele é o amor que as pessoas têm por si mesmas. Muitas vezes as pessoas, por causa de fraquezas antigas, de crises mais recentes, não conseguem defender seus interesses para satisfazer suas necessidades. Para ter amor próprio, não significa que a pessoa deva ter sempre seus desejos satisfeitos, ser egoísta ou pisar nos outros. O amor próprio faz com que as pessoas ajam positivamente, procurem evitar pensar no passado, quando há tristezas ou mágoas, que procurem sempre lembrar que foi mais uma experiência para poder evoluir, procurando tirar proveito daqueles acontecimentos. Quem se ama de verdade, procura possuir controle emocional, procura compreender as pessoas, estar sempre, ou a maior parte do tempo, de bem com a vida e esquecer a opinião alheia, não guarda raiva, rancor, está sempre disposto a perdoar e ter coragem, confiança e segurança para recomeçar”. (Significado do amor próprio – Internet).

“Paixão é acertar com a pessoa errada e vê-la ir embora, amar é errar com a pessoa certa e mesmo assim, vê-la ficar.”

Ludwig Plateau.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.