Take a fresh look at your lifestyle.

Alunos barbacenenses recebem prêmio nacional em Uberaba

0 1.302

Por Edmar Ribeiro

O videoclipe produzido por alunos da Escola Estadual São Miguel para o Oscar Minas, festival nacional voltado para produções audiovisuais da rede pública de ensino, venceu a categoria mais importante da premiação, que ocorreu no dia 25 de outubro na cidade de Uberaba. O prêmio de Melhor Videoclipe foi entregue à aluna Sara Cristina, de 14 anos, que idealizou a produção do curta-metragem vencedor.

Por meio do trabalho de roteirização, atuação e filmagem desenvolvido pelos alunos premiados, a música “The Joke”, da cantora estadunidense Brandi Carlile, ganhou clipe especial com uma temática muito importante nas escolas: o bullying. 

A produção contou com o apoio do professor de inglês Natan Campos e da professora de apoio Denise Assis, que esteve na noite de gala do evento acompanhando a aluna Sara Cristina. Além disso, o filme também recebeu auxílio de profissionais da área, como o produtor cultural Hilreli Alves, que conversou com os alunos sobre a produção de conteúdos audiovisuais. 

“É extremamente importante que a gente tenha essa oportunidade de dar acesso para que os estudantes cogitem a possibilidade de fazer coisas dentro dessa área criativa”, ressalta Hilreli, que também é cantor e está diretamente envolvido com o cenário audiovisual da região. Ele observa, ainda, que pessoas que não convivem com o meio audiovisual podem possuir certas dificuldades de acesso a esse universo de criação, especialmente nos espaços fora da escola. 

Incentivo à arte e à língua inglesa – O Oscar Minas, que acontece anualmente, foi desenvolvido pelos professores José Querino e Fabiana de Azevedo com a proposta de incentivar os alunos das escolas públicas do país a se dedicarem aos estudos da Língua Inglesa ao mesmo tempo em que trabalham sua criatividade e acessam meios de cultura. 

Com tema livre, a premiação se destina ao incentivo da expressão artística dos alunos. Como informa o professor Natan Campos, o bullying é uma realidade muito frequente nas escolas, tanto públicas quanto particulares, o que inspirou os alunos a produzirem um videoclipe com essa temática. “A gente achou interessante usar esse tema até mesmo para conscientizar a comunidade escolar”, conta o professor.

Superação – Para a aluna Sara, a maior dificuldade foi conciliar os horários e locais de gravação com a rotina de estudos e compromissos dos estudantes envolvidos. Ela relata, porém, que as imagens foram produzidas em uma semana. 

Foi um período cansativo, saíamos às 13h para chegar em casa depois das 18h, mas sempre acompanhados pelos professores e algumas vezes até por familiares“, conta a aluna, que foi quem roteirizou o videoclipe produzido. Posso dizer que depois das gravações eu saí muito mais amiga do pessoal do que antesE, principalmente, depois de terminar as gravações e assistir o resultado final, eu percebi como tudo tinha valido à pena, não só por ter feito um clipe, mas foi ali que eu realmente superei todas as minhas histórias de Bullying“.

Na noite de gala, a expectativa e a surpresa se juntaram à emoção. “Quando eles começaram a premiar, nós não tínhamos muitas expectativas, afinal eram muitos vídeos, alguns com qualidade muito superior a nossa“, relata Sara. “Nós fomos indicados a seis categorias, cinco categorias técnicas e também de Melhor Professor do Ano, e no meio de todas essas indicações eis que chega a categoria de Melhor Clipe do Ano, e esse é um momento que não sai da minha cabeça“.

Sara conta que, por um segundo, sentiu seu coração parar de bater. Ao se dar conta de que haviam recebido a maior premiação da noite, foi impossível conter o entusiasmo. “Eu e a professora Denise fomos lá para receber a estatueta, fomos gritando mesmo, porque diferente de todo mundo ali, nós não tínhamos torcida. Esse foi o momento mais feliz, eu senti uma alegria, vontade de rir, de chorar, porque nós tínhamos conseguido, e enquanto a professora Denise discursava eu só pensava em como eternizar aquele momento“.

Com a premiação, os professores e alunos envolvidos esperam que o tema do bullying seja ampliado e alcance cada vez mais escolas e pessoas. Na memória de Sara, um sonho que se tornou realidade sempre a lembrará que, com a ajuda de amigos e familiares, a superação é muito mais fácil. A estudante e escritora de 14 anos conclui: “Saber que eu fiz parte de algo tão grande, poder olhar para trás e ver que as coisas ruins não importam, olhar para trás e recordar esse momento, é maravilhoso!“.

NOTA DA REDAÇÃO – Edmar Ribeiro é jornalista, social media, professor e artista visual. Além de atuar em editorias de comportamento e cotidiano, desenvolve consultorias empresariais de Slow Marketing e já participou de mostras de arte em Curitiba (PR), Florianópilis (SC), Pelotas (SC) e Montevideo (Uruguai). Atualmente, dá aulas de redação na rede estadual de ensino e ministra oficinas de escrita voltadas a movimentos sociais.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.