Take a fresh look at your lifestyle.

Adaptação escolar na infância

Valeska Magierek

0 101

A ida para a escola é um dos processos mais marcantes na vida de uma criança.

E cada um reage de uma forma: algumas de maneira tranquila, outras nem tanto. Mas o mais importante é entender que a escola contribui para o desenvolvimento global da criança e isto não pode ser compensado em casa.

A Legislação Brasileira prevê a ida das crianças para a escola a partir dos 4 anos de idade. Contudo, algumas vão antes desta idade, por motivos variados: os pais trabalham fora e/ou o dia todo, não há quem fique em casa com a criança, para favorecer a socialização, etc.

Antes dos 2 anos, o regime de creche e/ou hotelzinho prevê mais cuidados básicos do que propriamente Educação Infantil formal.

Neste sentido, as crianças passam a conhecer e viver num universo ainda desconhecido que traz medo, incerteza, ansiedade e também muita alegria, diversão e conhecimento!

Mas a forma como o adulto lida com esta etapa do desenvolvimento é determinante para o processo. Muitas vezes, a família sobrecarrega a criança com seus próprios medos e inseguranças, o que dificulta a adaptação rápida e sem maiores problemas para ela.

É claro que a escola trará muitos desafios! Mas trará muitas descobertas também! E compreender que a criança precisa passar por este processo é muito importante! Será na escola que ela aprenderá a conviver com pessoas e culturas diferentes, que aprenderá regras e limites mais amplos, que adquirá conhecimento de mundo para toda a sua vida, que construirá relações de amizade e muitas outras coisas e irá adquirir mais autonomia e independência!

 

Qual é a idade ideal de uma criança ir para a escola?

 

Atualmente temos observado uma tendência de a criança ir cada vez mais cedo para escola, o que particularmente vejo como positivo, se levarmos em conta os seguintes elementos de análise:

 

  • Se a criança ficar em casa, quem cuidará realmente dela?Os pais estarão em casa e terão tempo para dar atenção à criança?
  • Se a criança ficar em casa, que tipo de atividade ela fará que trará benefícios reais para ela?
  • A criança tem irmãos? Se não, quem brincará com ela? Quem fica com ela realmente brinca?
  • Esta criança tem um desenvolvimento dentro daquele que é esperado para sua idade?
  • Ela convive com outras crianças?

 

Temos inúmeras perguntas que, ao final, podem sinalizar que talvez seja melhor a criança ir para a escola onde poderá brincar com outras crianças, aprender coisas legais, aprender a conviver com outras pessoas, do que ficar em casa assistindo TV ou ‘brincando’ com equipamentos tecnológicos.

Entretanto, caso a família tenha tempo, espaço físico apropriado para estimular o desenvolvimento psicomotor, disponibilidade para brincar e interagir, o momento da ida para escola pode ser aos 3 ou 4 anos. Cada caso precisa ser analisado individualmente dentro da realidade social da família.

 

Quando começa o processo de socialização da criança?

 

É importante saber que o processo de socialização da criança só começa a partir dos 2 anos. A interação começa bem antes da socialização, em casa, com a família. A interação positiva tem um papel fundamental no desenvolvimento global da criança, uma vez que a família é seu primeiro modelo social.

Mas é claro que as crianças se estranharão, podendo ocorrer mordidas, empurrões, tapas etc. Elas não possuem controle sobre seus comportamentos e emoções e reagem como aprenderam. Mas isso tende a acabar. Contudo, essa evolução varia entre crianças e algumas se socializam mais rápido do que outras.

 

A adaptação escolar é difícil para toda as crianças?

 

Não. Nem toda criança passa por dificuldades na adaptação escolar. Mas existem muitos elementos que podem favorecer essa dificuldade: uma família superprotetora, uma criança que requeira mais cuidados do que o normal, um problema pelo qual a criança esteja vivenciando, etc.

Nesses casos em que a adaptação se transforma num suplício para a criança, para a família e também para a escola, o indicado é que a família procure por ajuda especializada a fim de minimizar o efeito disso sobre o desenvolvimento dela.

O que geralmente se espera é que a criança se adapte em até, no máximo, 30 dias. Após isso já devemos ficar atentos ao processo e procurar as causas da dificuldade.

 

A mãe ou outro familiar precisa ficar na escola ou na sala de aula durante o processo de adaptação?

 

Deve-se avaliar caso a caso, mas a indicação é de que a família confie na escola e nos profissionais que escolheram para acompanhar a criança. O que percebemos é que a insegurança é maior do adulto que leva à insegurança e medo na criança.

Além disso, permanecer em sala de aula prejudica a adaptação das outras crianças também e a organização da professora.

Assim, se possível, deixe que a professora receba a criança na porta da sala e ela, a professora, a conduza para as atividades preparadas para aquele dia.

Na saída, até que a criança esteja bastante familiarizada com a rotina escolar, a mãe ou familiar deve chegar alguns minutinhos antes da saída para que a criança se sinta segura e compreenda que após o período de aprendizagem na escola, ela retornará para perto de sua família.

Que fatores favorecerem a adaptação?

  1. Escolha de uma boa escola.Os pais devem visitar e conhecer a escola com antecedência para que tenham segurança quanto ao espaço físico, projeto pedagógico e qualificação dos profissionais. É importante também que a criança conheça a escola com antecedência.
  2. Diálogo com a criança sobre a escola. A criança precisa estar a par desta nova fase, saber os motivos e vantagens da ida para escola. Dê exemplos de outras crianças (vizinhos, primos, irmãos).
  3. A criança deve participar do planejamento, saber quem a levará e buscará, período que vai ficar na escola. Envolver a criança na escolha dos materiais e em todo planejamento é fundamental. Os pais também devem se planejar para esta nova rotina, não se atrasar na entrada e saída.
  4. Levar um brinquedo de casa. Levar um brinquedo que a criança goste muito pode ajudar nesta fase de adaptação. Pode lhe trazer maior segurança. Entretanto, evite promessas, presentes, prêmios ou punições. A criança precisa aprender a lidar com esta situação. Futuramente, muitas outras separações irão acontecer. Importante aprender a lidar com elas de forma natural.
  5. Confiança e segurança. Pais precisam estar confiantes na escola e seguros quanto à importância desta vivência para o desenvolvimento da criança. Incentive, esteja tranquilo e tenha calma diante da reação da criança (caso ocorra choro ou resistência).
  6. Tolere a separação. Quanto mais apegados pais e filhos, ou mais inseguros, maior será a dificuldade diante desta novidade. Embora o primeiro dia (ou os primeiros) possam ser difíceis, é importante a tolerância a esta angústia da separação. O choro tende a diminuir com o tempo e a criança irá descobrir muitas novidades na escola. Inclusive que é legal conviver com outras pessoas! E também que não precisa ficar o tempo todo junto com a mamãe!

 

Ajudar na adaptação escolar do filho é prepara-lo para a vida. Encare como uma fase de aprendizado para todos e que os momentos de reencontro estarão sempre repletos de muitas novidades e carinho.

 

NOTA DA REDAÇÃO: Valeska Magierek é Psicóloga, Especialização em Neuropsicologia e Mestre em Psicobiologia. Atua na área Clínica com atendimento de crianças e como Professora Universitária. Diretora Clínica do Centro AMA de Desenvolvimento, instituição dedicada ao atendimento de crianças.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.