Take a fresh look at your lifestyle.

A importância das emoções positivas na infância

0 223
  • Qual é a importância das emoções positivas na infância?

 

As emoções são parte importante para o desenvolvimento global e, neste sentido, as emoções positivas conduzirão o bom desenvolvimento emocional da criança. O tempo todo lidamos com emoções. E a criança precisa aprender a gerenciar tanto as boas emoções (p. ex. a alegria e o amor) quanto as emoções ruins (p. ex. a tristeza e a perda). Deve ser na infância que aprendemos a controlar nossas emoções, a fim de que elas favoreçam nossa vida adulta.

 

 

  • Qual é o sentido da alegria no desenvolvimento infantil?

 

Alegria quer dizer que eu me sinto satisfeito, prestigiado, valorizado, acolhido, aceito, adequado e adaptado.  É uma forma de mostrar acontecimentos agradáveis, desejáveis para a pessoa e para os outros. A alegria serve como uma forma de equilíbrio contra as emoções desagradáveis. Ela reforça fortemente os vínculos sociais, uma vez que preferimos e gostamos de estar com pessoas que demonstram alegria. Desse modo a alegria ajuda a manter as sociedades saudáveis e os grupos unidos. E a alegria na infância favorece a saúde emocional, a imunidade, as relações entre a criança, a família e os outros e até mesmo a aprendizagem.

 

 

  • Devemos estar alegres o tempo todo?

 

Não, de forma alguma. Ninguém fica alegre e feliz o tempo todo. Isto é uma impressão e um desejo falso e perigoso! Alegria em excesso pode demonstrar que algumas pessoas não estão conseguindo ativar a emoção de acordo com a situação. Você já imaginou alguém tendo demonstrações de alegria quando perde alguém ou alguma coisa importante na sua vida?

Por sua vez, não conseguir estar alegre quando várias coisas boas estão acontecendo também demonstra alguma dificuldade de ativar a emoção, o que pode sinalizar a necessidade de ajuda profissional.

 

 

  • Qual é o sentido do amor e para que serve esta emoção?

 

Amor que dizer que eu me sinto protegido, amparado, acolhido, aceito, querido e gostado. O amor serve para estabelecermos vínculos positivos com as pessoas, ao longo de nossas vidas, já a partir da infância. Quando o amor se manifesta nos sentimos protegidos e isso nos ajuda a nos tornarmos pessoas confiantes e seguras.  

O amor saudável deve ajudar as pessoas a serem confiantes e a se sentirem bem quando estiverem a sós. O amor encoraja as pessoas a resolverem seus problemas e a enfrentarem a vida com tudo de bom e de ruim que ela possui. O amor saudável ajuda a desenvolver o “amor próprio”, a gostarmos de nós mesmos, nos aceitarmos com nossas qualidades e defeitos, e confiarmos em nós mesmos e nas pessoas que nos querem bem. O amor saudável nos dá limites, ajuda a aprendermos a lidar com a frustração, que não podemos ter tudo o que queremos. Com ele aprendemos a valorizar o que é importante para os outros também.

Por sua vez, quando o amor é muito pouco ou não existe, podemos nos tornar frágeis, inseguros, pouco confiantes e descrentes do mundo e das pessoas. Nossos filhos nasceram para receber amor na dose certa. Sem ele, ficamos frios e distantes das outras pessoas.

 

5) O que podemos fazer para criar laços afetivos positivos com nossos filhos?

Pai e mãe! Estejam presentes na vida de seus filhos! Mesmo que tenhamos de trabalhar o dia todo, todos os dias, devemos reservar tempo com qualidade para estarmos com nossas crianças.

Abraçar nossos filhos, conversar amigavelmente sem cobranças e críticas o tempo todo, brincar, é parte fundamental para o desenvolvimento deles.

Ensine aos seus filhos o que é saudável. Não criem um mundo cheio de ilusões onde eles não terão contato com a realidade.

Nossos filhos são o que temos de melhor e eles deverão ser melhores do que nós! Mas nós não podemos cria-los achando que deverão ser servidos como reis e rainhas em todos os lugares e para sempre.

O limite do que é certo e o que é errado também participa da construção da emoção na criança.

 

NOTA DA REDAÇÃO – Valeska Magierek. Psicóloga, Neuropsicóloga, atua há mais de 20 anos na área Psicologia Infantil e Neuropsicologia. Atualmente é palestrante, instrutora de cursos e atende no Centro AMA de Desenvolvimento em Barbacena. www.centroamadesenvolvimento.com.br.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.