Notícias


16 de junho de 2017 às 20h03 atualizada em16 de junho de 2017 às 21h00

Vídeo de funcionário público mergulhando no esgoto choca a população

Prefeitura vai abrir sindicância para apurar o ocorrido

Da Redação
Vídeo de funcionário público mergulhando no esgoto choca a população

Um vídeo, que foi publicado no Facebook, no Grupo Continue Reclamando Aqui, de Barroso, e que também viralizou nos aplicativos de WhatsApp e outas redes sociais, chocou os internautas. Na publicação que tem cerca de 40 segundos, funcionários da Prefeitura de Barroso, com ajuda de uma máquina, trabalham nas proximidades da quadra do bairro Alonso.

De acordo com o Barroso Em Dia, ao que parece, eles estariam tentando desentupir uma caixa de esgoto, através de um buraco aberto no meio da rua. A cena mais chocante é quando um dos funcionários, que estava submerso no esgoto há alguns segundos, surge de dentro do buraco. Sem equipamentos apropriados e sem proteção, o funcionário público mergulha na caixa de esgoto que parecia estar entupida no Alonso.

A reportagem entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Barroso que respondeu ao Barroso EM DIA que o prefeito ficou desolado ao ver as imagens. “O prefeito afirma que ficou desolado ao ver as imagens e que, se tivesse ciência de que o funcionário se submetia a essa situação, que, por sinal, soubemos que ele ou outros funcionários fazem há vários anos, não permitiria que isso continuasse, pois prezamos pelo respeito e dignidade de todos os trabalhadores. A prefeitura já está providenciando todos os procedimentos médicos, como consultas, exames e vacinas, para resguardar a saúde do funcionário e não vai permitir que ele realize mais esse tipo de atividade. “Infelizmente não tomei ciência do fato antes, senão nunca permitiria que uma atividade desse tipo fosse realizada por um funcionário”, declarou o prefeito, agradecendo à população por ajudar a fiscalizar, cumprindo seu papel de cidadão”. 

A Prefeitura também informou no seu site oficial que será baixada, no início da próxima semana, uma portaria nomeando uma Comissão de Sindicância, para, através de um inquérito administrativo, apurar responsabilidades em relação ao fato ocorrido.